Dor Crônica - O Blog das Dores Crônicas

Você sofre de coronafobia?

Você sofre de coronafobia?

A “coronafobia” está a caminho de se tornar uma doença mental, por enquanto aguda, capaz de afetar milhões de pessoas. A questão é: como saber quem está mais propenso a contraí-la, de maneira a se prevenir em tempo? Esse post apresenta dois instrumentos validados cientificamente, pelos quais profissionais da saúde podem responder a essa pergunta em prol de seus pacientes.

“O maior medo da Covid-19 resulta das incertezas sobre o quão ruim suas consequências futuras podem ser.”

Uma vez encerrada a primeira onda viral na Europa, dois psicólogos ligados a universidades canadenses cunharam o termo “coronafobia”.1 Uma combinação de medo e ansiedade deflagrada pelo novo coronavírus e a Covid-19. O artigo Coronaphobia: Fear and the 2019-nCoV outbreak, no entanto, gerou curiosidade mais pelo seu título do que pela advertência que continha: que o custo psicológico da pandemia seria  massivo e extenso no tempo.

Os Efeitos da Coronafobia

Posteriormente, a pesquisa sobre coronafobia revelou que os indivíduos que estão com medo e ansiosos sobre Covid-19 tendem a experimentar um conjunto coerente de sintomas fisiológicos desagradáveis ​​que são desencadeados por pensamentos ou informações associadas a esta doença infecciosa.

Foi constatado que a coronafobia está fortemente associada a depressão elevada, ansiedade generalizada, desesperança, ideação suicida e deficiências funcionais. Mais chocantemente, supostos casos de suicídio devido a coronafobia também estão começando a surgir.

Os Fatores de Risco

Pesquisas sobre as reações psicológicas a epidemias e pandemias anteriores sugerem que vários fatores de vulnerabilidade psicológica podem desempenhar um papel na coronafobia, incluindo variáveis ​​individuais de diferença, como intolerância à incerteza, vulnerabilidade percebida à doença e tendência à ansiedade (preocupação).

Outras influências são externas. A falta de informação e desinformação, muitas vezes auxiliada por manchetes e focos sensacionais da mídia popular, tem demonstrado alimentar medos e fobias relacionados à saúde.

Por exemplo, muitos americanos estão usando medicamentos prescritos para lidar com seu estresse e ansiedade, pois a demanda por medicamentos ansiolíticos aumentou 34,1% de meados de fevereiro a meados de março do ano 2020. Esses fatores também podem desempenhar um papel significativo na coronofobia. 

Como medir a coronafobia?

Se a coronofobia é ou não uma variante do transtorno de ansiedade crônica ou coisa parecida, deixo o esclarecimento para os cientistas. O que na prática importa é que provavelmente ela gera angústia numa pessoa. Noutras palavras, o quanto “pensar” sobre Covid-19 pode ser “clinicamente disfuncional” e se transformar num distúrbio mental. E se admitimos o óbvio: que a maioria dos habitantes dos países da América do Sul – o Brasil muito inclusive – vai ficar às voltas com a ameaça da Covid-19 até sabe-se lá quando, é também óbvio que seria prudente, tanto as autoridades sanitárias, quanto você e eu, desde já irmos pensando no assunto.

As Escalas de Ansiedade e de Obsessão

Esses dois instrumentos agora estão registrados como ferramentas de pesquisa pelo Programa de Resposta à Pesquisa em Emergências e Desastres de Saúde Pública (DR2) do National Institutes of Health (NIH) americano e parte do Covid-19 Mental Health Care Toolkit da Associação Mundial de Psiquiatria. Além disso, eles fizeram parte das principais revisões do Jornal de Psicopatologia e Cérebro, Comportamento e Imunidade e usados em estudos de grande escala, como o Covid-19 IDD: uma pesquisa global. A pesquisa foi apresentada a mais de 17.000 cientistas da comunidade Covid-19 da Research Gate, faz parte da coleção de coronavírus da Universidade de Cambridge e é reconhecida na Evidence Exchange Network no Canadá. Recentemente, a pesquisa foi citada em um relatório do Metropolitan Educational Research Consortium (MERC) para apoiar a saúde mental de estudantes na Virgínia durante a pandemia Covid-19.

A Escala de Ansiedade do Coronavírus (CAS)

A Escala de Ansiedade do Coronavírus (CAS) avalia os sintomas de ansiedade disfuncional de base fisiológica associados ao coronavírus. Foi criada e validada na Turquia em populações abrangendo várias centenas voluntários, e os níveis clínicos de coronafobia foram operacionalmente definidos por escores de nove ou mais na mesma. O CAS está sendo traduzido para vários idiomas e usado por mais de 50 equipes de profissionais de saúde e pesquisadores de todo o mundo.23

Com que frequência você experimentou as seguintes atividades nas últimas 2 semanas? De modo nenhum Raro, menos de um ou dois dias Muitos dias Mais de 7 dias Quase todos os dias nas últimas 2 semanas
0 1 2 3 4
Eu senti tontura, vertigens ou desmaio quando li ou ouvi notícias sobre o coronavírus.
Eu tive problemas de quedas ou ficar sonado porque estava pensando sobre o coronavírus.
Eu me senti paralisado ou congelado quando pensei ou fui exposto a informações sobre o coronavírus.
Perdi o interesse em comer quando pensei ou fui exposto a informações sobre o coronavírus.
Senti náuseas ou problemas de estômago quando pensei ou tive contato com informações sobre o coronavírus.
Total das colunas (soma de cada coluna)
Pontuação Total (soma das colunas):
A Escala de Obsessão com a Covid-19

O instrumento avalia o pensamento persistente e perturbado sobre Covid-19. Ou seja, o quanto pensar sobre a Covid-19 é “demais”, por provocar sofrimento e deficiência funcional. Para construí-la, o Dr. Sherman A. Lee, professor numa universidade canadense, examinou duas grandes amostras de dados de pesquisa online de trabalhadores americanos, somando 1.173 indivíduos.45

Com que frequência você experimentou as seguintes atividades nas últimas 2 semanas? De modo nenhum Raro, menos de um ou dois dias Muitos dias Mais de 7 dias Quase todos os dias nas últimas 2 semanas
0 1 2 3 4
Tive pensamentos perturbadores de que poderia ter contraído o coronavírus.
Tive pensamentos perturbadores de que certas pessoas que vi podem ter o coronavírus.
Não conseguia parar de pensar no coronavírus.
Sonhei com o coronavírus.
Total das colunas (soma de cada coluna)
Pontuação Total (soma das colunas):

Constatou-se que a Escala de Obsessão estava correlacionada com vários indicadores de sofrimento psicológico, como a angústia mental.

Dor Crônica - O Blog das Dores Crônicas
Cadastre-se E receba nosso newsletter

Veja outros posts relacionados...

nenhum

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *