Terapias Alívio da Dor & Outros - by dorcronica.blog.br

Protegendo-se da ignorância do macaco

Vírus

Se você ainda não se informou sobre o novo vírus – o vírus da varíola dos macacos – que apareceu no horizonte para infernizar (ainda mais) a vida da Humanidade, veja este resumo. Aqui está tudo o que por enquanto você precisa saber.

“Existem mais vírus na Terra do que estrelas no universo.”

– Gurpreet Kaur

A maioria de nós ainda está lutando contra os efeitos posteriores da pandemia de Covid-19, e mais uma infecção por vírus atingiu o mundo.

Uma doença rara, causada pela infecção pelo vírus da varíola dos macacos, foi encontrada e agora está se espalhando por toda a Europa, incluindo Grã-Bretanha, Itália, Portugal, Espanha e Suécia. Os últimos casos de infecção também foram relatados na França e na Austrália.

Embora o vírus da varíola dos macacos seja prevalente em partes remotas da África Central e Ocidental, outras regiões o relatam depois que as pessoas viajam para as áreas infectadas. As agências de saúde agora estão preocupadas com sua disseminação pela comunidade e uma nova via de transmissão. O Covid-19 não é o único vírus no ar.

O que exatamente é a varíola dos macacos? A doença da varíola dos macacos foi descoberta pela primeira vez no ano de 1958 em um grupo de macacos, e é por isso que é chamada assim. Desde a sua identificação, houve surtos esporádicos de varíola em 11 países africanos desde 1970. É da mesma família de vírus da varíola. No entanto, a doença é menos grave em comparação com ela.

Nota do blog:

Monkeypox e vírus do macaco B têm causas completamente diferentes.

O vírus Monkeypox é do mesmo gênero que o vírus da varíola. O vírus do macaco B é uma forma do vírus do herpes B. O macaco não é o hospedeiro principal. São os roedores. As infecções pelo vírus do macaco B em pessoas geralmente são causadas por macacos. Chimpanzés e macacos-prego podem pegar o vírus B e geralmente morrem da infecção.

Monkeypox e herpes B são dois vírus totalmente distintos”, disse o especialista em doenças infecciosas Amesh A. Adalja, MD, Johns Hopkins Center for Health Security.1

Monkeypox tem duas cepas até agora, a da África Ocidental, com uma taxa de mortalidade de 1%, e a outra é da África Central, com uma taxa de mortalidade de 10%.

Como se espalha?

Se você entrar em contato próximo com uma pessoa infectada, há uma grande chance de você contrair a doença da varíola dos macacos. O vírus pode entrar no corpo através da pele ressecada ou do trato respiratório além dos olhos, nariz ou boca. Relatórios recentes sugerem que também pode ser transmitido por contato direto durante o sexo. Verifique a severidade da sua febre para obter mais diagnósticos.

Quais são os sintomas da varíola dos macacos?

Os primeiros sintomas da varíola dos macacos incluem febre, dor de cabeça, dores no corpo e nos músculos, glândulas inchadas, calafrios e exaustão. Esses sintomas são seguidos por inchaços que progridem por cinco estágios, terminando em crostas que caem.

Se infectado, você pode ver os primeiros sintomas entre cinco a 21 dias e uma erupção cutânea pode aparecer de um a cinco dias após experimentar esses sintomas. Não confunda a erupção com varicela, porque começa como manchas levantadas, mas logo se transforma em crostas cheias de líquido.

A doença geralmente dura de duas a quatro semanas.2

Quão perigosa é a doença da varíola dos macacos?

A maioria dos casos do vírus não é grave, às vezes lembrando catapora, mas as crostas desaparecem dentro de duas a quatro semanas e caem. Em apenas alguns casos graves, causou mortes relatadas na África Ocidental. A mortalidade da varíola é de um em cada dez pacientes, especialmente pacientes mais jovens, de acordo com a Organização Mundial da Saúde. No entanto, pacientes leves se recuperam completamente dentro de algumas semanas.

Existe um tratamento?

Atualmente, não há tratamento disponível para a varíola dos macacos. Portanto, certifique-se de que a infecção não se espalhe ainda mais e fique isolado até que os sintomas gerais desapareçam.

Cadastre-se E receba nosso newsletter

Veja outros posts relacionados…

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

CONHEÇA FIBRODOR, UM SITE EXCLUSIVO SOBRE FIBROMIALGIA
CLIQUE AQUI
Preencha e acesse!
Coloque seu nome e e-mail para acessar.
Preencha e acesse!
Você pode baixar as imagens no blog gratuitamente preenchendo os dados abaixo:
Dor Crônica - O Blog das Dores Crônicas
ATENÇÃO!
Toda semana este blog publica dois artigos de cientistas e dois posts inéditos da nossa autoria sobre a dor e seu gerenciamento.
Quer se manter atualizado nesse tema? Não duvide.

Deixe aqui seu e-mail:
Preencha e acesse!
Você pode ver os vídeos no blog gratuitamente preenchendo os dados abaixo:
Preencha e acesse!
Você pode ler o ebook no blog gratuitamente preenchendo os dados abaixo:
Dor Crônica - O Blog das Dores Crônicas
Preencha e acesse!
Você pode ler o ebook no blog gratuitamente preenchendo os dados abaixo:
Dor Crônica - O Blog das Dores Crônicas
Preencha e acesse!
Você pode ler o ebook no blog gratuitamente preenchendo os dados abaixo:
Dor Crônica - O Blog das Dores Crônicas
Preencha e acesse!
Você pode ler o ebook no blog gratuitamente preenchendo os dados abaixo:
Dor Crônica - O Blog das Dores Crônicas
Preencha e acesse!
Você pode ler o ebook no blog gratuitamente preenchendo os dados abaixo:
Dor Crônica - O Blog das Dores Crônicas
Preencha e acesse!
Você pode ler o ebook no blog gratuitamente preenchendo os dados abaixo:
Dor Crônica - O Blog das Dores Crônicas
Preencha e acesse!
Você pode ler o ebook no blog gratuitamente preenchendo os dados abaixo:
Dor Crônica - O Blog das Dores Crônicas
Preencha e acesse!
Você pode ler o ebook no blog gratuitamente preenchendo os dados abaixo:
Dor Crônica - O Blog das Dores Crônicas
Preencha e acesse!
Você pode ler o ebook no blog gratuitamente preenchendo os dados abaixo:
Dor Crônica - O Blog das Dores Crônicas
Preencha e acesse!
Você pode ler o ebook no blog gratuitamente preenchendo os dados abaixo:
Dor Crônica - O Blog das Dores Crônicas
Preencha e acesse!
Você pode ler o ebook no blog gratuitamente preenchendo os dados abaixo:
Dor Crônica - O Blog das Dores Crônicas
Preencha e acesse!
Você pode ler o ebook no blog gratuitamente preenchendo os dados abaixo:
Dor Crônica - O Blog das Dores Crônicas
Preencha e acesse!
Você pode ler o ebook no blog gratuitamente preenchendo os dados abaixo:
Dor Crônica - O Blog das Dores Crônicas
Preencha e acesse!
Você pode ler o ebook no blog gratuitamente preenchendo os dados abaixo:
Dor Crônica - O Blog das Dores Crônicas
Preencha e acesse!
Você pode ler o ebook no blog gratuitamente preenchendo os dados abaixo:
Dor Crônica - O Blog das Dores Crônicas
Preencha e acesse!
Você pode ler o mini-ebook no blog gratuitamente preenchendo os dados abaixo:
Dor Crônica - O Blog das Dores Crônicas
Preencha e acesse!
Você pode ler o ebook no blog gratuitamente preenchendo os dados abaixo:
Dor Crônica - O Blog das Dores Crônicas
Preencha e acesse!
Você pode ler o ebook no blog gratuitamente preenchendo os dados abaixo:
Dor Crônica - O Blog das Dores Crônicas
Preencha e acesse!
Você pode ler o ebook no blog gratuitamente preenchendo os dados abaixo:
Dor Crônica - O Blog das Dores Crônicas