Dor Crônica - by dorcronica.blog.br

Procurando por um especialista em dor? Clique aqui.

Procurando por um especialista em dor? Clique aqui.

Se você estiver procurando por “médicos especialistas em dor perto de mim”, há algumas coisas que você deve saber ao conduzir sua pesquisa. Esses médicos podem ajudar pacientes com condições de dor crônica ou aguda, como artrite, problemas nas costas, dores de cabeça, enxaquecas, fibromialgia, danos nos nervos, lesões esportivas etc. que os deixou desconfortáveis ​​ou incapazes de funcionar normalmente devido ao período de recuperação pós-cirúrgico.

Preste atenção, porém: nem todos os médicos de controle da dor, todavia, fornecem os mesmos serviços de tratamento da dor. Alguns se concentram no tratamento de apenas um tipo de condição, enquanto outros podem oferecer uma variedade de tratamentos, dependendo do que está causando o desconforto do paciente. Goste-se ou não, a verdade é que nem todos os profissionais de saúde – médicos, fisioterapeutas, etc. – estão bem qualificados e/ou atualizados cientificamente para opinar sobre a matéria, ainda mais para diagnosticar e tratar da mesma. É importante entender isso antes de escolher qual médico será mais adequado para você. Neste post, eu apresento uma forma inédita de buscar atualmente, em qualquer estado do Brasil, o melhor médico para aliviar a dor. E dou a você também o caminho para saber o que buscar.

“Eu te digo, o médico antiquado que tratava de todas as doenças desapareceu completamente, agora só existem especialistas. Se o nariz dói, eles mandam você para Paris: tem um especialista europeu lá, ele trata narizes. Você vai a Paris, ele examina seu nariz: só posso tratar a narina direita, ele diz, não trato a narina esquerda, não é minha especialidade, mas depois de mim, vá para Viena, tem um especialista separado lá que vai terminar tratando sua narina esquerda.”

– Fiódor Dostoiévski

Pessoas com dor persistente ficam confusas sobre que tipo de médico chamar e receiam que tudo o que um médico possa fazer por elas seja o de sempre: prescrever medicação, recomendar hábitos de vida saudável e… adeus. Nesse blog e no site FIBRODOR eu recebo diariamente muitas consultas de pessoas nessa situação.

O objetivo desses dois espaços virtuais é um só: facilitar a vida dos pacientes com dor crônica, fornecendo-lhes informações sérias e com base científica.

Por conta disso, eu fiz o seguinte:

  1. Montei um cadastro dos profissionais da saúde especializados no manejo da dor existentes no país, acessível aos nossos visitantes; e
  2. Pesquisei e informarei essas pessoas sobre como os médicos especializados no manejo da dor são qualificados, e onde eles se concentram, no Brasil.

O cadastro ENCONTREI!

A montagem do cadastro foi feita literalmente “no braço”. Uma equipe de colaboradores peneirou a internet durante meses, procurando por médicos especializados em dor em todo lugar adequado – sites médicos e de hospitais, clínicas de dor, congressos médicos etc. –, até atingir a marca de 500 indivíduos e 200 Clínicas de Dor, sediados em todos os estados do Brasil.

Encontrei! Especialistas em Dor
Filtrar por
Estado
Cidade
Bairro

Usar o cadastro é muito fácil e custa nada. Esse painel de controle tem todo o necessário para uma primeira busca do profissional, perto ou longe de casa.

Por exemplo, você está com dor cervical há mais de 3 meses, mora em Maceió e quer consultar um médico especializado no manejo da dor perto de casa. Simples: envia um e-mail ou liga pelo celular ou faça o contato pelo whatsapp indicados. Daí em diante, atenção: se você foi bem atendido ou não, se o preço da consulta é escandaloso ou não, se o seu plano médico é útil ou não… é outra piada. O valor do ENCONTREI! se limita a ajudar você a encontrar rapidamente um médico que diz ser especializado no manejo da dor e possui credenciais para tanto. De fato, o painel mostra os respectivos registros dos médicos conforme emitidos pelo Conselho Federal de Medicina, ou pela Associação Brasileira de Medicina, ou pelo órgão de classe respectivo.

Não achou o que queria? Pensa que sua condição de saúde é grave o suficiente como para viajar para uma outra capital? Recife, por exemplo? Simples: aciona o painel de controle de novo inserindo nele as novas informações.

Todos os médicos especializados em medicina da dor têm uma especialidade principal – pode ser anestesista, reumatologista, ortopedista, psiquiatria, cirurgião, fisiatra ou clínica geral, entre outros.

Enfim, para mim, que certamente construir cadastros de profissionais é um desvio de função, é também o epílogo de uma empreitada que me pareceu ser de gritante utilidade pública.

Para você, se um dia vier a ser um paciente com dor crônica a procura de um profissional bem qualificado nessa área da medicina, é um primeiro passo na direção certa.

Tudo sobre os especialistas no manejo da dor

O primeiro passo para ser bem atendido por um bom profissional da saúde, seja no manejo da dor ou de qualquer condição de saúde, todavia, não é encontrá-lo, mas antes saber o que buscar.

Ao descobrir que a dor que sentimos é aguda demais, ou que não vai embora no tempo que deveria, é perguntar a amigos ou ao Google, a quem recorrer: um médico de confiança ou com um bom nome na praça – e de preferência, barato e com o consultório na sua esquina.

Bem, em se tratando de manejo da dor, isso não funciona. É garantia de perda de tempo, dinheiro e esperança. Encontrar profissionais de saúde especializados em dor requer, também, uma “busca especializada”. Lembre-se de que depois de encontrar o profissional certo, você ficará sabendo se este é mesmo isso – o profissional certo – se este dedicar ao menos uma hora a perguntar com atenção e responder com calma sobre o que acontece no seu corpo e na sua mente em relação a dor e a vida. Se o escopo da consulta não for esse, esqueça, esse definitivamente NÃO é um profissional especializado no manejo da dor – nem se credenciado pelo Papa ele for.

Por isso, preparei uma série de 6 posts (a serem publicados a partir da próxima semana) que, sem recomendar esse ou aquele médico “especializado no manejo da dor” no Brasil, descreve claramente como ele (ou ela) é qualificado e que entidades médicas fazem isso; o que ele faz pelo paciente, que subespecialidades dentro do campo do manejo da dor pode assumir, e por fim, onde pode ser encontrado. (Em vários casos, quando adequado, comparando com os Estados Unidos.)

A série de posts foi revisada pela Dra. Luci Mara França, vice-presidente da SBED – Sociedade Brasileira do Estudo da Dor.

Concluindo

Somando todo o mencionado aqui, eu acredito ter ajudado a resolver o problema talvez mais importante do paciente com dor crônica: começar a sua (longa) caminhada em direção ao alívio pela trilha certa.

Cadastre-se E receba nosso newsletter

Veja outros posts relacionados…

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

CONHEÇA FIBRODOR, UM SITE EXCLUSIVO SOBRE FIBROMIALGIA
CLIQUE AQUI