Dor Crônica - by dorcronica.blog.br

Pré-diabetes – Sua chance de prevenir o diabetes Tipo 2

Pré-diabetes – Sua chance de prevenir o diabetes Tipo 2

Em 2020, um estudo realizado no Brasil apontou “…um intervalo entre 7,5 a 18,5% de adultos brasileiros que apresentam pré-diabetes e hiperglicemia intermediária”.. Na mesma época o Centers for Disease Control and Prevention (CDC) americano reportava “…96 milhões de adultos americanos – mais de 1 em cada 3 – com pré-diabetes”. Ou seja, nos Estados Unidos a proporção da população com pré-diabetes seria o dobro da brasileira na mesma condição? Provavelmente não, mas a discrepância carece de importância ao lado do tamanho de ambas as proporções, calculadas em dezenas de milhões de pessoas. Ou seja, no Brasil, pode ser que aproximadamente 40 milhões de bípedes estejam à beira da diabetes, uma doença que apresenta muitas complicações de diversos tipos, além de potencial risco de vida. Você sabia disso? Bem, eu não sabia e por isso decidi postar a matéria seguinte, sobre pré-diabetes.

“Se alguém me dissesse: ‘Qual é o seu problema de saúde número 1?’ Eu teria dito doença cardíaca e depois diabetes. E o que os médicos me dizem agora é que posso transpô-los e dizer diabetes.”

– Larry King

O pré-diabetes é uma condição de saúde grave em que os níveis de açúcar no sangue são mais altos que o normal, mas ainda não altos o suficiente para serem diagnosticados como diabetes tipo 2.

Daqueles com pré-diabetes, mais de 80% não sabem que têm. O pré-diabetes aumenta o risco de desenvolver diabetes tipo 2, doenças cardíacas e derrame.

A boa notícia é que, se você tem pré-diabetes, o Programa Nacional de Prevenção do Diabetes, liderado pelo CDC, pode ajudá-lo a fazer mudanças no estilo de vida para prevenir ou retardar o diabetes tipo 2 e outros problemas graves de saúde.

O Mecanismo

Quando a insulina é disponibilizada em pouca quantidade ou não funciona da forma correta, o organismo passa a ter mais glicose no sangue, desencadeando o diabetes. Por sua vez, o pré-diabetes ocorre quando o metabolismo dos hidratos de carbono é alterado, fazendo com que níveis de glicose no sangue sejam maiores que o normal para o organismo do indivíduo, mas não ao ponto de configurar-se como o diabetes.

Assim sendo, o pré-diabetes é considerado um estágio intermediário entre o padrão tido como saudável e o diabetes mellitus tipo 2. Trata-se de um alerta do corpo para indicar que o risco de desenvolver diabetes é alto, além de aumentar as chances de complicações cardíacas.1

HbA1c e Diabetes

A HbA1c, também conhecida como hemoglobina glicada, é produzida quando a glicose no sangue adere à hemoglobina, uma proteína dentro dos glóbulos vermelhos necessária para o transporte de oxigênio. Como regra, quanto mais glicose no sangue, mais HbA1c é produzida.

Pessoas com diabetes têm um nível consistentemente maior do que o normal de açúcar (glicose) no sangue. Como o alto nível de açúcar no sangue por um período prolongado pode ser muito perigoso para a saúde, os diabéticos devem monitorar cuidadosamente seus níveis de glicose no sangue para garantir que não fiquem muito altos (ou muito baixos). É por isso que medir os níveis de HbA1c, que é um indicador dos níveis médios de glicose no sangue, é um teste útil para avaliar se o diabetes está sendo gerenciado de forma eficaz ou não. Ele também pode ser usado como uma ferramenta de diagnóstico para esse distúrbio e para destacar pessoas em risco de desenvolvê-lo (chamado de pré-diabéticos).

Como os glóbulos vermelhos têm uma vida útil de aproximadamente 3 meses antes de serem substituídos, a medição da HbA1c pode refletir como os níveis de açúcar no sangue foram elevados, em média, nos 3 meses anteriores.

Em média, a HbA1c normal para não diabéticos é < 36 mmol/mol (5,5%). Para pessoas com diabetes, um nível ideal de HbA1c deve ser de 48 mmol/mol (6,5%) ou inferior. Uma medição de HbA1c entre 36 e 48 mmol/mol significa que o indivíduo corre um risco muito alto de desenvolver diabetes tipo 2, denominado “pré-diabetes”.2

O que causa o pré-diabetes?

A insulina é um hormônio produzido pelo pâncreas que atua como uma chave para permitir que o açúcar no sangue entre nas células para uso como energia. Se você tem pré-diabetes, as células do seu corpo não respondem normalmente à insulina. Seu pâncreas então produz mais insulina para tentar fazer com que elas respondam. Eventualmente, seu pâncreas não consegue acompanhar e seu açúcar no sangue aumenta, preparando o terreno para pré-diabetes – e diabetes tipo 2 no futuro.

Sinais e sintomas

Você pode ter pré-diabetes por anos, mas não tem sintomas claros, por isso muitas vezes não é detectado até que problemas de saúde graves, como diabetes tipo 2, apareçam.

É importante conversar com seu médico sobre o teste de açúcar no sangue se você tiver algum dos fatores de risco para pré-diabetes, que incluem:

  • Estar acima do peso
  • Ter 45 anos ou mais
  • Ter um pai, irmão ou irmã com diabetes tipo 2
  • Ser fisicamente ativo menos de 3 vezes por semana
  • Já teve diabetes gestacional (diabetes durante a gravidez) ou deu à luz um bebê que pesava mais de 4,5 kg
  • Ter síndrome dos ovários policísticos

Raça e etnia também são um fator: afro-americanos, hispânicos/latino-americanos, índios americanos, ilhéus do Pacífico e alguns americanos asiáticos estão em maior risco.

Teste simples de açúcar no sangue

Você pode fazer um simples teste de açúcar no sangue para descobrir se tem pré-diabetes.

Prevenção do diabetes tipo 2

Se você tem pré-diabetes, perder uma pequena quantidade de peso se estiver acima do peso e praticar atividade física regular pode diminuir o risco de desenvolver diabetes tipo 2. Uma pequena perda de peso significa cerca de 5% a 7% do seu peso corporal. Atividade física regular significa fazer pelo menos 150 minutos por semana de caminhada rápida ou atividade similar. São apenas 30 minutos por dia, cinco dias por semana.

Um programa de mudança de estilo de vida pode ajudar a fazer essas mudanças e fazê-las persistir. Através do programa, você pode reduzir o risco de desenvolver diabetes tipo 2 em até 58% (71% se tiver mais de 60 anos).

Convém levar para casa:

  • Trabalhar com um terapeuta treinado para fazer mudanças de estilo de vida realistas e duradouras.
  • Ter uma alimentação saudável e adicionar mais atividade física ao seu dia.
  • Gerenciar o estresse, manter-se motivado e resolver problemas que podem retardar o progresso.
  • Obter apoio de pessoas com objetivos e desafios semelhantes.

Baseado no “Prediabetes – Your Chance to Prevent Type 2 Diabetes”, publicado pelo CDC

Cadastre-se E receba nosso newsletter

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

CONHEÇA FIBRODOR, UM SITE EXCLUSIVO SOBRE FIBROMIALGIA
CLIQUE AQUI
Preencha e acesse!
Coloque seu nome e e-mail para acessar.
Preencha e acesse!
Você pode baixar as imagens no blog gratuitamente preenchendo os dados abaixo:
Dor Crônica - O Blog das Dores Crônicas
ATENÇÃO!
Toda semana este blog publica dois artigos de cientistas e dois posts inéditos da nossa autoria sobre a dor e seu gerenciamento.
Quer se manter atualizado nesse tema? Não duvide.

Deixe aqui seu e-mail:
Preencha e acesse!
Você pode ver os vídeos no blog gratuitamente preenchendo os dados abaixo:
Preencha e acesse!
Você pode ler o ebook no blog gratuitamente preenchendo os dados abaixo:
Dor Crônica - O Blog das Dores Crônicas
Preencha e acesse!
Você pode ler o ebook no blog gratuitamente preenchendo os dados abaixo:
Dor Crônica - O Blog das Dores Crônicas
Preencha e acesse!
Você pode ler o ebook no blog gratuitamente preenchendo os dados abaixo:
Dor Crônica - O Blog das Dores Crônicas
Preencha e acesse!
Você pode ler o ebook no blog gratuitamente preenchendo os dados abaixo:
Dor Crônica - O Blog das Dores Crônicas
Preencha e acesse!
Você pode ler o ebook no blog gratuitamente preenchendo os dados abaixo:
Dor Crônica - O Blog das Dores Crônicas
Preencha e acesse!
Você pode ler o ebook no blog gratuitamente preenchendo os dados abaixo:
Dor Crônica - O Blog das Dores Crônicas
Preencha e acesse!
Você pode ler o ebook no blog gratuitamente preenchendo os dados abaixo:
Dor Crônica - O Blog das Dores Crônicas
Preencha e acesse!
Você pode ler o ebook no blog gratuitamente preenchendo os dados abaixo:
Dor Crônica - O Blog das Dores Crônicas
Preencha e acesse!
Você pode ler o ebook no blog gratuitamente preenchendo os dados abaixo:
Dor Crônica - O Blog das Dores Crônicas
Preencha e acesse!
Você pode ler o ebook no blog gratuitamente preenchendo os dados abaixo:
Dor Crônica - O Blog das Dores Crônicas
Preencha e acesse!
Você pode ler o ebook no blog gratuitamente preenchendo os dados abaixo:
Dor Crônica - O Blog das Dores Crônicas
Preencha e acesse!
Você pode ler o ebook no blog gratuitamente preenchendo os dados abaixo:
Dor Crônica - O Blog das Dores Crônicas
Preencha e acesse!
Você pode ler o ebook no blog gratuitamente preenchendo os dados abaixo:
Dor Crônica - O Blog das Dores Crônicas
Preencha e acesse!
Você pode ler o ebook no blog gratuitamente preenchendo os dados abaixo:
Dor Crônica - O Blog das Dores Crônicas
Preencha e acesse!
Você pode ler o ebook no blog gratuitamente preenchendo os dados abaixo:
Dor Crônica - O Blog das Dores Crônicas
Preencha e acesse!
Você pode ler o mini-ebook no blog gratuitamente preenchendo os dados abaixo:
Dor Crônica - O Blog das Dores Crônicas
Preencha e acesse!
Você pode ler o ebook no blog gratuitamente preenchendo os dados abaixo:
Dor Crônica - O Blog das Dores Crônicas
Preencha e acesse!
Você pode ler o ebook no blog gratuitamente preenchendo os dados abaixo:
Dor Crônica - O Blog das Dores Crônicas
Preencha e acesse!
Você pode ler o ebook no blog gratuitamente preenchendo os dados abaixo:
Dor Crônica - O Blog das Dores Crônicas