Artigos - by dorcronica.blog.br

Dor em várias partes do corpo? Pode ser polineuropatia.

Dor em várias partes do corpo? Pode ser polineuropatia.

A polineuropatia é a disfunção simultânea de vários nervos periféricos por todo o organismo. Infecções, toxinas, medicamentos, câncer, deficiências nutricionais, diabetes, doenças autoimunes e outras doenças podem fazer muitos nervos periféricos funcionarem incorretamente.

Autora: Sheryl Huggins Salomon

Quando a neuropatia periférica envolve danos em apenas um nervo, é chamada de mononeuropatia.1 A lesão de um nervo ou pressão sobre ele devido a algum tipo de compressão (como inflamação ou edema) pode afetar um único nervo, resultando em dor, alteração ou perda de sensibilidade, perda de movimento ou outro tipo de mau funcionamento. Trauma físico, síndrome do túnel do carpo e ciática estão entre as causas comuns de mononeuropatia.

A polineuropatia é totalmente diferente. Ela decorre de danos aos nervos fora do cérebro e da medula espinhal.

A polineuropatia é a forma mais comum de neuropatia periférica, uma condição que envolve danos aos nervos periféricos – que estão fora do cérebro e da medula espinhal – e os sintomas que resultam desse dano. Nesta forma de neuropatia, vários nervos são afetados e, frequentemente, os nervos de todo o corpo serão afetados simultaneamente.23

Quais são os diferentes tipos de polineuropatia?

Entre os padrões de polineuropatia mais encontrados estão:4

Neuropatia periférica simétrica crônica

O maior grupo de polineuropatias, elas se desenvolvem gradualmente ao longo do tempo e afetam os nervos de todo o corpo.

Neuropatia periférica aguda simétrica

Rara, esta forma grave de polineuropatia de rápido desenvolvimento afeta os nervos de todo o corpo e é mais frequentemente observada na síndrome de Guillain-Barré, uma doença autoimune que ataca o sistema nervoso periférico e pode ser fatal.

Mononeuropatia múltipla

Envolvendo danos em pelo menos duas áreas nervosas distintas, essa forma de polineuropatia pode resultar de vasculite (inflamação dos vasos sanguíneos), sarcoidose e algumas formas de câncer.

Quais são as causas mais comuns de polineuropatia?

Diabetes

A neuropatia periférica diabética, que afeta entre 12% e 50% das pessoas com diabetes, é a forma mais comum de polineuropatia. Dentro desse grupo, a polineuropatia simétrica distal é mais prevalente. Com esta forma de polineuropatia, as primeiras fibras nervosas a funcionarem mal são aquelas mais distantes do sistema nervoso central, com sintomas como dor e dormência sentidas simetricamente nos pés e depois subindo pelas pernas à medida que a condição progride. Eventualmente, as extremidades superiores também podem estar envolvidas.567

A neuropatia é apenas uma das complicações que podem resultar quando as pessoas com diabetes tipo 2 não controlam o açúcar no sangue.

Causas desconhecidas

O próximo maior grupo de polineuropatias é composto por aquelas que são idiopáticas, o que significa que os médicos não sabem a causa. Essas neuropatias são mais comuns em pessoas com mais de 60 anos.89

Doenças e Toxicidade

Outras causas de polineuropatia incluem quimioterapia; HIV/AIDS e os medicamentos usados ​​para tratá-lo; outros distúrbios metabólicos, como hipoglicemia ou insuficiência renal; distúrbios autoimunes como doença celíaca, artrite reumatoide, lúpus, sarcoidose, síndrome de Sjogren e síndrome de Guillain-Barré; infecções; toxicidade; distúrbios hereditários como a doença de Charcot-Marie-Tooth; distúrbios hormonais; alcoolismo; e deficiências vitamínicas.1011121314

Quais são os possíveis sintomas da polineuropatia?

Os sintomas da polineuropatia dependem se os nervos autônomos, sensoriais ou motores – ou uma combinação deles – estão envolvidos. Danos nos nervos autônomos podem afetar as funções corporais ou a pressão arterial e até mesmo criar sintomas gastrointestinais.

Danos aos nervos sensoriais podem afetar as sensações e o senso de equilíbrio, enquanto os danos aos nervos motores podem afetar o movimento e os reflexos. Quando os nervos sensoriais e motores estão envolvidos, a condição é conhecida como polineuropatia sensório-motora, na qual ocorre dano em todo o corpo, nas células nervosas, fibras (axônios) e revestimentos (bainhas de mielina).15

Dependendo da causa e do paciente, os sintomas da polineuropatia podem incluir: dormência temporária ou permanente; formigamento; sensações de picadas ou queimação; aumento da sensibilidade ao toque; dor; fraqueza ou desgaste muscular; paralisia; ou disfunção em órgãos ou glândulas; comprometimento da micção e da função sexual.1617

Como é a dor polineuropática?

As condições comuns associadas à dor polineuropática incluem neuropatia diabética, neuralgia pós-herpética (uma complicação do herpes zoster, também conhecida como zona), neuropatia sensorial periférica associada ao HIV e hanseníase.18192021

“Eu tive pacientes que são profundamente neuropáticos com fraturas graves, e isso não os machuca. Eles pensam: ‘Acabei de torcer o tornozelo’”

—  Peter Highlander, DPM, podólogo

Os sintomas da dor neuropática tendem a ser semelhantes em uma ampla gama de causas, diz Vernon Williams, MD, neurologista esportivo que é diretor do centro de neurologia esportiva e medicina da dor no Cedars-Sinai Kerlan-Jobe Institute, em Los Angeles.

“O caráter e a qualidade da dor neuropática tendem a ser uma dor ardente ou elétrica.” Além disso, ele diz, a dor geralmente estará associada a outros sintomas, como:

  • Parestesia, falta de sensação normal associada à dor, como dormência ou formigamento.
  • Alodinia, uma resposta dolorosa a um estímulo que normalmente não desencadearia sinais de dor, como um toque leve ou um vento frio.
  • Hiperalgesia, uma dor dramática ou intensa em resposta a um estímulo que normalmente causa dor leve.

Quais são algumas das complicações potenciais da polineuropatia?

Uma série de complicações associadas à neuropatia em geral decorrem da perda de sensibilidade.

A dor é um mecanismo de proteção. Sem sensação, uma pessoa pode não saber quando foi ferida, e algo tão pequeno quanto uma bolha pode se infectar, evoluir para uma úlcera e, com o tempo, uma ferida profunda o suficiente para exigir a amputação da parte do corpo afetada.

A polineuropatia também pode levar a complicações durante a cirurgia, diz Highlander. Isso é por causa da osteoartropatia neuropática de Charcot (ou Charcot, para abreviar), uma condição na qual a inflamação e as lesões não tratadas sujeitam ossos, articulações e tecidos moles (especialmente os dos pés) a microfraturas e deformidades. Se um paciente sabe que tem neuropatia, isso deve ser mencionado antes da cirurgia, diz o Dr. Highlander, porque o procedimento deve ser tratado de forma diferente.22

Quais são as opções de tratamento para polineuropatia?

Para dor neuropática leve a moderada, as pessoas frequentemente recorrem a medicamentos de venda livre, como Tylenol (acetaminofeno); drogas anti-inflamatórias não esteroides (AINEs) como Advil (ibuprofeno) e Aleve (naproxeno); e tratamentos tópicos, como cremes de capsaicina e lidocaína.

Para dores mais intensas, são prescritos inibidores da COX-2, como Celebrex (celecoxib), opioides, Ultram (tramadol); bem como medicamentos que atuam nas vias da dor de maneira mais direcionada, incluindo antidepressivos, anticonvulsivantes e antiepilépticos.

Ainda assim, outros tratamentos envolvem estimulação de nervos com eletrodos e cirurgia para aliviar a compressão, diz o Dr. Williams.23

Baseado no artigo:What is Polyneuropathy? Everything to know about the most common form of neuropathy”, de Sheryl Huggins Salomon, revisado medicamente por Samuel Mackenzie, MD, PhD.

Cadastre-se E receba nosso newsletter

Veja outros posts relacionados…

nenhum

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

CONHEÇA FIBRODOR, UM SITE EXCLUSIVO SOBRE FIBROMIALGIA
CLIQUE AQUI
Preencha e acesse!
Coloque seu nome e e-mail para acessar.
Preencha e acesse!
Você pode baixar as imagens no blog gratuitamente preenchendo os dados abaixo:
Dor Crônica - O Blog das Dores Crônicas
ATENÇÃO!
Toda semana este blog publica dois artigos de cientistas e dois posts inéditos da nossa autoria sobre a dor e seu gerenciamento.
Quer se manter atualizado nesse tema? Não duvide.

Deixe aqui seu e-mail:
Preencha e acesse!
Você pode ver os vídeos no blog gratuitamente preenchendo os dados abaixo:
Preencha e acesse!
Você pode ler o ebook no blog gratuitamente preenchendo os dados abaixo:
Dor Crônica - O Blog das Dores Crônicas
Preencha e acesse!
Você pode ler o ebook no blog gratuitamente preenchendo os dados abaixo:
Dor Crônica - O Blog das Dores Crônicas
Preencha e acesse!
Você pode ler o ebook no blog gratuitamente preenchendo os dados abaixo:
Dor Crônica - O Blog das Dores Crônicas
Preencha e acesse!
Você pode ler o ebook no blog gratuitamente preenchendo os dados abaixo:
Dor Crônica - O Blog das Dores Crônicas
Preencha e acesse!
Você pode ler o ebook no blog gratuitamente preenchendo os dados abaixo:
Dor Crônica - O Blog das Dores Crônicas
Preencha e acesse!
Você pode ler o ebook no blog gratuitamente preenchendo os dados abaixo:
Dor Crônica - O Blog das Dores Crônicas
Preencha e acesse!
Você pode ler o ebook no blog gratuitamente preenchendo os dados abaixo:
Dor Crônica - O Blog das Dores Crônicas
Preencha e acesse!
Você pode ler o ebook no blog gratuitamente preenchendo os dados abaixo:
Dor Crônica - O Blog das Dores Crônicas
Preencha e acesse!
Você pode ler o ebook no blog gratuitamente preenchendo os dados abaixo:
Dor Crônica - O Blog das Dores Crônicas
Preencha e acesse!
Você pode ler o ebook no blog gratuitamente preenchendo os dados abaixo:
Dor Crônica - O Blog das Dores Crônicas
Preencha e acesse!
Você pode ler o ebook no blog gratuitamente preenchendo os dados abaixo:
Dor Crônica - O Blog das Dores Crônicas
Preencha e acesse!
Você pode ler o ebook no blog gratuitamente preenchendo os dados abaixo:
Dor Crônica - O Blog das Dores Crônicas
Preencha e acesse!
Você pode ler o ebook no blog gratuitamente preenchendo os dados abaixo:
Dor Crônica - O Blog das Dores Crônicas
Preencha e acesse!
Você pode ler o ebook no blog gratuitamente preenchendo os dados abaixo:
Dor Crônica - O Blog das Dores Crônicas
Preencha e acesse!
Você pode ler o ebook no blog gratuitamente preenchendo os dados abaixo:
Dor Crônica - O Blog das Dores Crônicas
Preencha e acesse!
Você pode ler o mini-ebook no blog gratuitamente preenchendo os dados abaixo:
Dor Crônica - O Blog das Dores Crônicas
Preencha e acesse!
Você pode ler o ebook no blog gratuitamente preenchendo os dados abaixo:
Dor Crônica - O Blog das Dores Crônicas
Preencha e acesse!
Você pode ler o ebook no blog gratuitamente preenchendo os dados abaixo:
Dor Crônica - O Blog das Dores Crônicas