Psicologia da Dor - by dorcronica.blog.br

Dor crônica + transtornos mentais: uma “nova” doença crônica?

Dor crônica e transtornos mentais

É difícil para as pessoas com problemas de saúde mental exporem os seus sintomas a um profissional de saúde, especialmente quando já estão recebendo tratamento para um problema crônico de saúde física, dor crônica inclusive. Infelizmente, a junção de dor crônica e transtornos mentais (ex.: ansiedade generalizada, depressão…) numa pessoa só, cria uma nova condição clínica sobre a qual, apesar de ser muito prevalente na população pós-Covid em qualquer país, pouco se sabe – principalmente no contexto da atenção médica básica. Esta postagem apresenta, primeiro, um resumo do tema, e depois, os resultados e recomendações de um estudo publicado recentemente (2020) pela Mental Health America (MHA), uma ONG americana muito respeitada.

“Às vezes, os monstros são invisíveis e às vezes os demônios atacam você por dentro. Só porque você não consegue ver as garras e os dentes não significa que eles não estejam te destruindo. A dor não precisa ser vista para ser sentida.”

– Emm Roy

A dor crônica e os transtornos mentais geralmente ocorrem juntos.

Na verdade, a investigação sugere que a dor crônica e os problemas de saúde mental podem contribuir e exacerbar um ao outro.

  • Pessoas que vivem com dor crônica correm maior risco de problemas de saúde mental, incluindo depressão, ansiedade e transtornos por uso de substâncias.
  • A dor crônica pode afetar o sono, aumentar os níveis de estresse e contribuir para a depressão.
  • Estima-se que 35% a 45% das pessoas com dor crônica sofrem de depressão.
  • Mesmo quando os sintomas da depressão melhoram, as pessoas com histórico de depressão correm maior risco de dor crônica.
  • A dor também pode ser um sintoma comum entre pessoas com transtorno de ansiedade generalizada.
  • Ansiedade, depressão e outros transtornos de humor geralmente ocorrem ao mesmo tempo que dores crônicas causadas por doenças crônicas como fibromialgia, dor nas costas crônica, enxaqueca e artrite, entre outras.
  • A investigação que utiliza imagens funcionais sugere que as perturbações de saúde mental e a dor crônica partilham mecanismos biológicos, o que contribui para a interligação.
  • Militares e profissionais da saúde são mais propensos do que outros a ter dor crônica.
  • Idosos relatam dor crônica com mais frequência – cerca de 60% das pessoas com 65 anos ou mais relatam ter dor crônica, em comparação com 26% das pessoas entre 18 e 24 anos.

A depressão pode tornar uma pessoa mais sensível à dor

Num novo relatório, a Mental Health America utilizou dados do seu programa de rastreio de saúde mental online para analisar a intersecção entre saúde mental e dor crônica.

Entre 2015 e 2019, mais de 160.000 indivíduos que utilizaram o programa de rastreio Mental Health America identificaram-se como vivendo com artrite ou outras dores crônicas. Pessoas que relataram ter artrite ou dor crônica eram mais propensas a ter vários problemas de saúde mental, incluindo ansiedade grave, depressão grave, transtorno bipolar e TEPT.

A metade (47%) das pessoas com dor crônica tiveram um resultado positivo para depressão grave, em comparação com 36% das pessoas sem dor crônica.

Recomendações

Com base na sua análise, a Mental Health America forneceu uma série de recomendações para melhorar o tratamento destas condições comumente concomitantes.

Entre as recomendações:

  • Os médicos de cuidados primários devem iniciar proativamente conversas sobre saúde mental e dor crônica com os pacientes, em vez de esperar que os pacientes relatem os sintomas.
  • Os cuidados devem ser centrados no paciente e incluir o uso de ferramentas compartilhadas de tomada de decisão.
  • As necessidades, objetivos e preferências de cada paciente devem ser reconhecidos e incluídos no plano de tratamento.
  • Reunir especialistas de apoio de pares, agentes comunitários de saúde e outros em equipes de cuidados poderia criar uma gestão mais eficaz da dor.

Nota do blog: Quando a dor crônica e os distúrbios de saúde mental ocorrem em conjunto, é importante tratar ambas as condições, de acordo com especialistas em saúde mental. Alguns tratamentos e abordagens podem ajudar tanto a saúde mental quanto as condições de dor, incluindo psicoterapia e técnicas de relaxamento. Os medicamentos, incluindo alguns antidepressivos e alguns anticonvulsivantes, podem ser úteis no tratamento de ambas as condições. Mudanças no estilo de vida, como exercícios, boa nutrição e sono suficiente, também podem ser úteis para controlar a dor e melhorar os sintomas de saúde mental.

Referências e fontes: Mental Health America. Early, equitable and trauma responsive care for chronic pain and mental health. 2020. Vadivelu, Nalini, et al. (2017). Pain and Psychology-A Reciprocal Relationship. The Ochsner Journal, 17(2): 173-180. Hooten, WM. Chronic Pain and Mental Health Disorders; Shared Neural Mechanisms, Epidemiology, and Treatment. Mayo Clin Proc. 2016 Jul;91(7):955-70.

Cadastre-se E receba nosso newsletter

Veja outros posts relacionados…

nenhum

2 respostas

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

CONHEÇA FIBRODOR, UM SITE EXCLUSIVO SOBRE FIBROMIALGIA
CLIQUE AQUI