Dor Crônica - O Blog das Dores Crônicas

Dor crônica, sono ruim: saia dessa!

Dor crônica, sono ruim: saia dessa!

Resultados de inúmeras pesquisas mostram que as mulheres apresentam mais sintomas graves de depressão do que os homens. Também, insônia e sonolência diurna excessiva. Essa semana o dorcronica.blog.br posta um poderoso ebook ilustrado. O seu nome – Sono Mulher – é genérico porque engloba tudo o que a mulher com dor crônica convém saber sobre o sono ruim, ou distúrbios do sono, nos diferentes estágios de vida (menstruação, gravidez, pós-parto), ou em associação com síndromes crônicas (depressão, fibromialgia). As terapias mais (e menos) recomendadas pela ciência também têm destaque no ebook Sono Mulher.

O ebook Sono Mulher é uma chance para a mulher inteligente escapar, sozinha, dessa realidade.

“Cristo, três horas da manhã! Os médicos dizem que o corpo está na maré baixa. A alma está fora. O sangue se move devagar. Você está o mais próximo da morte que você nunca poderá estar, exceto ao morrer. O sono é um remendo de morte, mas às três da manhã, com os olhos arregalados, é a morte em vida!”

Ray Bradbury

Nessa semana, o dorcronica.blog incorpora mais um ebook à sua prateleira: o “SONO MULHER, Problemas e Soluções”. São 206 páginas ilustradas sobre os temas:

O MECANISMOSONO & DOR CRÔNICA
DISTÚRBIOS DO SONOSONO & FIBROMIALGIA
CAUSAS E CONSEQUÊNCIASSONO & DIFERENÇAS DE GÊNERO
INSONIAHIGIENE DO SONO
SONO & MENSTRUAÇÃOTRATAMENTOS MEDICAMENTOSOS
SONO & GRAVIDEZ/PERINATALMELATONINA
SONO & PÓS-PARTOTRATAMENTOS NÃO-MEDICAMENTOSOS
SONO & MENOPAUSATERAPIA COGNITIVA-COMPORTAMENTAL

Ao embarcar numa empreitada dessas, sabe-se de antemão que consome vários meses de trabalho. Haverá de se consultar inúmeras publicações científicas de primeira ordem, além de digerir webinars e lives a cargo dos maiores especialistas em sono do país. E depois achar os profissionais certos para diagramar algo que garanta uma leitura amena sobre o que a mulher precisa saber (e fazer) para dormir melhor.

A ideia da empreitada me veio à mente após assistir uma série de lives sobre dor, organizada por uma associação médica. Uma delas foi sobre Sono e Menopausa, a cargo da Dra. Andrea Toscanini. De longe, foi a que atraiu o maior número de perguntas da plateia; uma plateia, aliás, 90% feminina. E o tema, que eu não conhecia, também me pareceu superinteressante.

Contudo, uma última indagação: por que uma mulher com dor crônica se interessaria em saber sobre como dormir melhor?

A resposta me levou um mês. Um mês revisando artigos científicos publicados sobre o tema nos últimos 30 anos. (Não todos, claro, mas certamente um monte.)

Seriam quatro os motivos, resumidos a seguir. Peço notar que eles seguem uma ordem lógica, que vai desde o mais básico – “Dormir mal faz mal” – ao mais específico – “A dor crônica afeta mais a mulher do que o homem”. 

Dormir mal faz mal à mulher

Sono crônico insuficiente é um fator de risco para uma variedade de patologias psicológicas, neurológicas e neurodegenerativas, bem como disfunções cardiovasculares e metabólicas. Especialmente em mulheres. Quer mais?

A mulher tem mais problemas de insônia que o homem

Certamente. Isso já tem sido comprovado cientificamente, além de ser notório.

No geral, é comum que as mulheres sofram de problemas de sono. Em pesquisa conduzida pela National Sleep Foundation americana, até 67% das mulheres disseram ter problemas para dormir pelo menos algumas noites durante o mês anterior e 46% tiveram problemas quase todas as noites. Elas também têm um sono de qualidade inferior ao dos homens.

Descobertas mais recentes de estudos clínicos revelam que mulheres que sofrem de distúrbios do sono e sono insuficiente correm maior risco em comparação com os homens para distúrbios do humor, como depressão, bem como disfunção metabólica e cardiovascular.

A insônia é consideravelmente mais comum em mulheres do que em homens. Taxas mais altas de insônia em mulheres foram encontradas em vários estudos, e algumas estimativas colocam o risco de insônia ao longo da vida como 40% maior nas mulheres. Em adultos mais velhos, as mulheres são mais propensas a experimentar vários sintomas de insônia, ao contrário dos homens que frequentemente relatam apenas um sintoma.

Dormir mal (e sono ruim) está associado com dor crônica

A dor torna difícil ficar confortável o suficiente para adormecer. Também torna difícil permanecer dormindo, pois certas condições podem forçá-lo a se reajustar durante a noite para evitar acordar com dor. Se essa condição de vida for crônica, é natural esperar que a dor que causa também o seja.

De fato, estudos experimentais recentes sugerem que os distúrbios do sono podem prejudicar os principais processos que contribuem para o desenvolvimento e manutenção da dor crônica, incluindo a inibição da dor endógena e dor nas articulações.

A dor crônica afeta mais a mulher do que o homem

Inúmeras evidências provam que as mulheres geralmente têm doenças crônicas (ex.: enxaqueca, artrite, fibromialgia) e sentem dores mais recorrentes, intensas e duradouras do que os homens. 1234567

ebook
SONO MULHER, Problemas e Soluções

  • Dormir mal, faz mais mal a mulher do que ao homem
  • A mulher dorme pior do que o homem
  • Dormir mal e dor crônica são parceiros
  • A dor crônica afeta mais a mulher do que o homem

Agora reflita dois minutos sobre o lido. Veja como essas quatro afirmações convergem numa única conclusão:

a mulher com dor crônica precisa de um guia para resolver, ou amenizar os problemas de sono que eventualmente enfrenta.

Quer conhecer o ebook SONO MULHER? Clique aqui.

Cadastre-se E receba nosso newsletter

Veja outros posts relacionados...

nenhum

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *