Coronavirus - by dorcronica.blog.br

Covid-19 pelo mundo afora: 25-04-21

Covid-19 pelo mundo afora: 25-04-21

“Bolsonaro só fez reduplicar, de forma despudorada, a vocação genocida do país, confirmando a tese de que o vírus nada mais é do que a expressão condensada daquilo que nós somos.” A opinião é de Acauam Oliveira, doutor em literatura brasileira pela Universidade de São Paulo e professor da Universidade de Pernambuco. Diante do meio milhão de mortos previsto para agosto por todos os cientistas por conta a Covid, não haveria nada mais a ser dito.

A frase me deixou pensando, porém. E pensando bem – algo esporádico no meu caso, admito – a confirmação da tal tese não veio só do lado bolsonarista (note que eu estou generalizando, que cabe) e operadores de redes sociais negacionistas. Veio também dos conselhos e associações médicas, da OAB, do Congresso em peso, dos juízes de todos os vários Supremos Tribunais de Justiça que há por aí, dos CEOS das grandes empresas, dos dirigentes das centrais sindicais e satélites, dos baladeiros e banhistas de fim de semana, dos formadores de opinião no esporte e na TV, dos milhões de imbecis que ora transitam pelas ruas com a máscara na boca ou no queixo, e boa parte dos médicos e cientistas que desfilaram pelas redes de TV, os quais DURANTE UM ANO silenciaram, ou denunciaram comedidamente, ignoraram o que estava acontecendo ou até fizeram por acontecer.

“A César o que é de César”: a frase do Prof. Oliveira serve de chapéu para mais da metade do Brasil.

Antecipando o óbvio na terra da Rainha

“Facilitar a flexibilização do lockdown levará inevitavelmente a mais mortes”, previu Boris Johnson, que se diz temeroso de uma próxima onda da Covid-19 atacar o Reino Unido. O primeiro-ministro exortou as pessoas a continuarem “com moderação”, enquanto as cervejarias e algumas lojas reabriram na Inglaterra. E olha que, por lá, mais da metade da população já está vacinada. No Brasil, apenas 13,58%.

Sentando em cima do óbvio na terra do Quase Nunca

As medidas da fase emergencial, a mais restritiva do Plano São Paulo, “são adequadas, mas possivelmente insuficientes dada a gravidade da situação. Estamos implementando de forma pouco intensa as medidas de contenção da transmissão interpessoal do vírus.”

A quantas andamos?

Mais de 20 mil profissionais de saúde do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (HC-FMUSP) foram vacinados com a Coronavac. Efetividade da vacina: até 73,8%. Variante prevalente: dentre 142 amostras, 67 da Amazonas (P.1).

A Índia abrindo o bico

Autoridades em Delhi, capital da Índia, anunciaram um bloqueio de 1 semana após um aumento significativo nos casos. O país continua relatando um número recorde de casos de Covid-19, registrando 332.730 novos casos hoje. Seu já frágil sistema de saúde está lutando para acompanhar o fluxo de pacientes. Em desespero, alguns hospitais recorreram às redes sociais para pedir ao governo que forneça mais oxigênio. Os hospitais estão sobrecarregados, com mais de 99% dos leitos de terapia intensiva ocupados. Uma em cada três pessoas na cidade testa positivo e os crematórios estão lotados. O governo ignorou os sinais de uma nova onda no início deste ano, permitindo grandes comícios eleitorais e encontros religiosos. O país anunciou recentemente que todos os adultos serão elegíveis para serem vacinados a partir de 1º de maio.

Mesmo assim… como se explica isso?

O Brasil, com quase 214 milhões de habitantes, viu mais de 365.000 pessoas morrerem de Covid-19, mais do que o dobro do número de mortes na Índia, que tem uma população muito maior, de 1,4 bilhão. As mortes no país asiático como porcentagem de casos confirmados é de 1,2 contra 2,6 no Brasil.

Arghhhhhhhh!

Segundo estudo publicado na Nature, os efeitos do Covid-19 na saúde não apenas podem se estender por meses, mas parecem aumentar o risco de morte e condições médicas crônicas, mesmo em pessoas que nunca ficaram doentes o suficiente para serem hospitalizadas. No estudo, publicado quinta-feira, os pesquisadores analisaram registros médicos de mais de 73.000 pessoas nos Estados Unidos cujas infecções por coronavírus não exigiram hospitalização. Entre um e seis meses após a infecção, esses pacientes apresentavam um risco significativamente maior de morte – 60% maior – do que as pessoas que não haviam sido infectadas com o vírus. 

Sputnik V

Argentina começa a produzir localmente a vacina Sputnik V. Primeiros lotes serão enviados à Rússia para controle de qualidade, e expectativa é de que produção em massa comece em junho.

Anvisa decide na segunda se autoriza a importação da Sputnik. Funcionários da agência estão na Rússia inspecionando as condições de produção do imunizante e voltam neste sábado (24) após uma semana de atividades. Anvisa cobra relatório e dados sobre fabricação.

Desafio Humano

Os especialistas ainda têm muito a aprender sobre a probabilidade de que as pessoas que tiveram Covid-19 possam contrair a doença novamente. Cientistas da Universidade de Oxford, no Reino Unido, anunciaram um teste de desafio humano para coletar dados que fornecerão uma melhor compreensão de como funciona a reinfecção. Nesse tipo de teste o novo coronavírus será inoculado tal como veio ao mundo em voluntários e seja o que Deus quiser. 

Confirmado

Um estudo recente, publicado na revista Cell Reports Medicine, analisou dados de 300.000 reações em cadeia da polimerase, ou testes PCR, feitos em Israel. Os cientistas concluíram que a variante B.1.1.7, que foi identificada pela primeira vez no Reino Unido, é 45% mais contagiosa do que o vírus original.

Outros dois estudos, ambos publicados na The Lancet Public Health também acharam que a variante B.1.1.7 possui maior transmissibilidade, mas não maior gravidade. Eles não encontraram associações com desfechos de Covid-19 mais graves.

Palavras ao vento

No mês passado, mais de 1.000 especialistas científicos, de saúde pública e jurídicos se juntaram a um apelo aos líderes globais para garantir o acesso às vacinas Covid-19 para países de baixa e média renda. “A pandemia não terminará para nós até que termine para todos”, escreveram os autores em uma carta aberta. Agora, além dos problemas de abastecimento, os países latino-americanos enfrentam a alegada falta de vacinas na Rússia e China.

Você sabia que…

As variantes de um vírus são classificadas por “grau de preocupação”. Uma variante considerada “preocupante” deve mostrar evidências de:

  • maior transmissibilidade
  • maior gravidade da doença
  • uma diminuição substancial na neutralização do vírus por anticorpos de vacinação ou infecção passada
  • diminuição do efeito protetor das vacinas contra doenças graves

Atualmente, pelo menos 5 variantes “preocupantes” circulam nos Estados Unidos. Em março, o mesmo número, no Brasil.

Ravaged by Covid, Brazil Faces a Hunger Epidemic

Manchete na primeira página do The New York Times, na sexta feira. A seguir: “Dezenas de milhões de brasileiros enfrentam fome ou insegurança alimentar à medida que a crise da Covid-19 no país se arrasta, matando milhares de pessoas todos os dias.” Viva-se com isso.

Ups!

A AstraZeneca, que despachou milhões de doses de sua vacina contra o coronavírus para o México e Canadá no mês passado sob a orientação da administração Biden, disse na quinta-feira que as doses foram feitas em uma fábrica de Baltimore, onde a produção foi interrompida por causa de sérias falhas de fabricação.

Treinamento de olfato

Um estudo da Pensylvannia State University em outubro passado descobriu que entre 44% e 77% dos pacientes com Covid-19 experimentaram perda completa do olfato durante o estágio agudo da doença. Agora, cientistas ingleses estão recomendando o “treinamento do olfato” para pessoas que perderam o sentido devido à Covid, já que um em cada cinco com relato de sintomas não voltou ao normal oito semanas depois de adoecer. O exercício envolve cheirar pelo menos quatro odores diferentes duas vezes ao dia durante vários meses, o que os especialistas dizem ser uma maneira “barata, simples e sem efeitos colaterais” de tratar o sintoma comum.

Quem diria! Uma pitada de psicose pode fazer bem.

As pessoas tratadas com antipsicóticos podem ter um risco menor de infecção por SARS-CoV-2 e, se a desenvolverem, têm maior probabilidade de apresentar Covid-19 menos grave. Os resultados do novo estudo aparecem na revista Schizophrenia Research.

Vacina da Pfizer. Os efeitos colaterais.

O Medical News Today descreve alguns dos efeitos colaterais mais comuns associados à vacina Pfizer-BioNTech. O artigo também aborda preocupações sobre reações alérgicas e falsas alegações sobre os riscos para a gravidez e fertilidade.

A trombose parece ser privilégio apenas da vacina Oxford-AstraZeneca

Pfizer-BioNTech, Moderna e Sputnik V afirmam que seus respectivos imunizantes não favorecem a formação de trombos, nem em circunstâncias raras. E a CoronaVac? Não foram divulgados publicamente efeitos adversos graves, como casos de formação de coágulos entre os imunizados.

A Covid 19 pelo mundo afora

País Notícia
Grêcia Grécia Os gregos se abrem para turistas internacionais em 15 de maio e sem quarentena para viajantes da maioria dos países europeus, bem como de Israel e dos Estados Unidos. Apesar de uma emergência em curso no atendimento hospitalar relacionado à pandemia.
União Européia União Europeia A UE planeja dar a 70% da população adulta pelo menos uma dose da vacina Covid-19 até julho. Ursula von der Leyen disse que o bloco alcançaria imunidade populacional mais cedo do que o esperado, graças a um aumento nas entregas de vacinas.
Japão Japão O país declarou um terceiro estado de emergência na sexta-feira, que durará até 11 de maio para desencorajar viagens de férias. Imperturbável, o comitê das Olimpíadas reafirmou sua determinação em realizar os jogos de verão.
Argentina Argentina Os resultados de um estudo realizado em Buenos Aires mostram que pessoas previamente expostas ao vírus, que apresentavam anticorpos antes do início da vacinação, geram uma resposta imune humoral rápida ao receber uma dose da vacina Sputnik V, produzindo níveis de anticorpos semelhantes e até superiores às produzidas por pessoas não infectadas que receberam duas doses da vacina Sputnik V. Esses resultados sugerem que a infecção anterior gera memória imunológica que é evidenciada com a primeira dose de Sputnik V produzindo níveis aumentados de anticorpos em comparação com indivíduos não infectados anteriormente. Ou seja, apenas uma dose dessa vacina pode ser suficiente para imunizar.
Peru Peru Com uma morte a cada cinco minutos, o Peru passa por seu pior momento desde o início da pandemia. Apesar do país ter tomado quase todas as medidas possíveis para mitigar o avanço da Covid-19 – quarentena estrita, fechamento de fronteiras, toques de queda, uso obrigatório de máscaras, entre outras – nada parece detê-lo e até agora ele totaliza mais de 58.000 mortos.
LEMBRE-SE: use máscara
Cadastre-se E receba nosso newsletter

Veja outros posts relacionados…

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

SAIBA TUDO SOBRE VACINAS COVID-19
CLIQUE AQUI
Preencha e acesse!
Coloque seu nome e e-mail para acessar.
Preencha e acesse!
Você pode baixar as imagens no blog gratuitamente preenchendo os dados abaixo:
Dor Crônica - O Blog das Dores Crônicas
ATENÇÃO!
Toda semana este blog publica dois artigos de cientistas e dois posts inéditos da nossa autoria sobre a dor e seu gerenciamento.
Quer se manter atualizado nesse tema? Não duvide.

Deixe aqui seu e-mail:
Preencha e acesse!
Você pode ver os vídeos no blog gratuitamente preenchendo os dados abaixo:
Preencha e acesse!
Você pode ler o ebook no blog gratuitamente preenchendo os dados abaixo:
Dor Crônica - O Blog das Dores Crônicas
Preencha e acesse!
Você pode ler o ebook no blog gratuitamente preenchendo os dados abaixo:
Dor Crônica - O Blog das Dores Crônicas
Preencha e acesse!
Você pode ler o ebook no blog gratuitamente preenchendo os dados abaixo:
Dor Crônica - O Blog das Dores Crônicas
Preencha e acesse!
Você pode ler o ebook no blog gratuitamente preenchendo os dados abaixo:
Dor Crônica - O Blog das Dores Crônicas
Preencha e acesse!
Você pode ler o ebook no blog gratuitamente preenchendo os dados abaixo:
Dor Crônica - O Blog das Dores Crônicas
Preencha e acesse!
Você pode ler o ebook no blog gratuitamente preenchendo os dados abaixo:
Dor Crônica - O Blog das Dores Crônicas
Preencha e acesse!
Você pode ler o ebook no blog gratuitamente preenchendo os dados abaixo:
Dor Crônica - O Blog das Dores Crônicas
Preencha e acesse!
Você pode ler o ebook no blog gratuitamente preenchendo os dados abaixo:
Dor Crônica - O Blog das Dores Crônicas
Preencha e acesse!
Você pode ler o ebook no blog gratuitamente preenchendo os dados abaixo:
Dor Crônica - O Blog das Dores Crônicas
Preencha e acesse!
Você pode ler o ebook no blog gratuitamente preenchendo os dados abaixo:
Dor Crônica - O Blog das Dores Crônicas
Preencha e acesse!
Você pode ler o ebook no blog gratuitamente preenchendo os dados abaixo:
Dor Crônica - O Blog das Dores Crônicas
Preencha e acesse!
Você pode ler o ebook no blog gratuitamente preenchendo os dados abaixo:
Dor Crônica - O Blog das Dores Crônicas
Preencha e acesse!
Você pode ler o ebook no blog gratuitamente preenchendo os dados abaixo:
Dor Crônica - O Blog das Dores Crônicas
Preencha e acesse!
Você pode ler o ebook no blog gratuitamente preenchendo os dados abaixo:
Dor Crônica - O Blog das Dores Crônicas
Preencha e acesse!
Você pode ler o ebook no blog gratuitamente preenchendo os dados abaixo:
Dor Crônica - O Blog das Dores Crônicas