Dor Crônica - O Blog das Dores Crônicas

A “vacina da Pfizer”. Efeitos colaterais?

A “vacina da Pfizer”. Efeitos colaterais?

Talvez você tire a sorte grande e venha a ser vacinado com “a Pfizer”. Certamente, a melhor vacina. No curto prazo, porém, há uma chance razoável de, nos dois dias seguintes, você sentir algum desconforto. Como dor no braço, febre baixa, dor de cabeça ou fadiga. Essas reações não são apenas normais, e até podem sinalizar que a vacina está funcionando – embora você não deva se alarmar se não tiver nenhuma reação adversa. Elas também são mais previsíveis em pacientes já recuperados porque seu sistema imunológico está preparado para responder à vacina. Mas são generalizações e, como dizem, “Deus está nos detalhes”. Esse post primeiro desmiuça e explica os efeitos colaterais da vacina da Pfizer-BioNTech conforme relatados pelos que já a tomaram, e depois responde às perguntas que você provavelmente faria se vier a tomá-la.

“Esta é a ciência em evolução. Você está vendo salsichas sendo feitas – na frente dos olhos do mundo.”

Saad Omer, Yale University

A suspeita de que as vacinas anti-Covid-19 gerassem reações alérgicas e riscos relativos à gravidez e fertilidade existiu desde o momento em que a população percebeu que elas estavam sendo desenvolvidas a toque de caixa. A conjetura foi ainda mais acentuada em relação às vacinas de mRNA, Pfizer-BioNTech e Moderna. Apesar de terem sido estudadas por muitos anos, elas nunca foram aprovadas para uso humano contra doenças.

Na verdade, quase todos os componentes de uma vacina podem ser considerados potenciais desencadeadores de reações alérgicas. Estes incluem vírus inativado ou morto e seus fragmentos, como polissacarídeos de cápsula, agentes de conjugação, conservantes, estabilizadores, agentes antimicrobianos e adjuvantes e meios de cultura usados em a preparação da vacina. O mesmo se aplica a excipientes, sustâncias farmacologicamente inativas que ajudam na preparação ou estabilidade do princípio ativo, e quaisquer contaminantes inadvertidos introduzidos durante o manuseio de constituintes antígenos imunizantes ativos.

“Alergia do aparelho respiratório superior, como tosse e coriza, não é contraindicação para a vacinação. Apenas as alergias aos componentes da vacina contraindicam a vacinação.”

Vacinas mRNA não contém seringa com rolha de borracha de látex, proteínas derivadas de cultura de ovos, fermento ou gelatina usados ​​em vacinas virais para estabilizar a viabilidade do vírus. Todos eles componentes que podem levar a reações alérgicas.

Mais importante, essas vacinas não contém o vírus e, portanto, não podem causar infecção. E, mesmo que pudesse, não dura o suficiente para representar um grande risco. Por sua própria natureza, as moléculas de mRNA da vacina são frágeis e se degradam rapidamente (é por isso que temperaturas superfrias são usadas para preservá-las). De acordo com a American Medical Association, o mRNA desaparece do corpo em 24 horas, e a proteína spike que ajuda as células a produzir é eliminada em 72 horas.

Por fim, o mRNA da vacina não tem a capacidade de alterar o DNA no interior das células, pois é uma molécula transitória e não entra no núcleo onde o DNA está armazenado.

Efeitos colaterais comuns da vacina Pfizer-BioNTech

De acordo com “bula” da vacina do FDA (Food and Drug Administration), além de efeitos no local da injeção, incluindo dor no braço, vermelhidão e inchaço.

os efeitos colaterais podem incluir:

  • cansaço
  • dor de cabeça
  • febre
  • arrepios
  • dores musculares ou articulares
  • náusea
  • diarreia
  • gânglios linfáticos inchados

Existe a teoria de que esses efeitos colaterais sinalizam que a vacina está funcionando, induzindo uma resposta protetora do sistema imunológico, mas não é comprovada.

Muitos indivíduos que receberam ambas as doses da vacina relataram que os sintomas são mais proeminentes após a segunda dose. No entanto, na maioria dos casos, foram leves a moderados e não duraram mais do que alguns dias.

Efeitos colaterais incomuns da vacina Pfizer-BioNTech

Nos ensaios clínicos, foram notificados efeitos secundários pouco frequentes em cada 1 em 100 a 1 em 1.000 pessoas.

Esses incluem:

  • linfonodos aumentados
  • mal-estar
  • dor no membro
  • insônia
  • coceira no local da injeção

Efeitos colaterais raros

“As vacinas são muito seguras e em não havendo reação alérgica depois dos primeiros 15 minutos após a injeção é muito improvável que haja risco à saúde nos dias seguintes”.

Nos ensaios clínicos, a queda facial unilateral temporária foi relatada em cada 1 em 1.000 a 1 em 10.000 pessoas.

Reações alérgicas e anafilaxia

Embora raro, os indivíduos podem apresentar reações alérgicas leves a graves aos ingredientes da vacina.

Os sintomas de reações graves, ou anafilaxia, estão listados na própria “bula” da vacina:

  • dificuldade ao respirar
  • inchaço do rosto e garganta
  • batimento cardíaco acelerado
  • irritação na pele
  • tontura

Enquanto profilaxia significa “proteção” em grego, (an) afilaxia significa “proteção oposta” ou “contra proteção”. A anafilaxia é um estado alérgico grave com risco de vida, induzida pela exposição a certos tipos de antígenos.

A anafilaxia, por sinal, é extremamente rara – aproximadamente 0,001% dos indivíduos que foram vacinados nos EUA a relataram. Apenas em raríssimas ocasiões (11 casos em 18 milhões de injeções), as vacinas de mRNA parecem desencadeá-la. Por esse motivo, os Centros de Controle e Prevenção de Doenças (CDC) exigem que os locais de vacinação monitorem todas as pessoas por 15 minutos após a injeção de Covid-19 e por 30 minutos se tiverem histórico de alergias graves ou se estiverem tomando um anticoagulante. Contudo, essa orientação não consta da cartilha “Vigilância dos Eventos Adversos Pós-Vacinação: cartilha para trabalhadores de sala de vacinação”, emitida pelo Ministério da Saúde.

Um ingrediente encontrado em vacinas de mRNA que poderia gerar reações alérgicas é uma substância química chamada polietilenoglicol (PEG). Ela reveste a molécula de mRNA e apoia sua entrada nas células. Aqueles com histórico de alergia severa ou imediata a PEG ou outros ingredientes em vacinas de mRNA são aconselhados a não receber qualquer vacina mRNA.

Gravidez e fertilidade

Preocupações com relação ao efeito da vacina na fertilidade surgiram do boato de que “os anticorpos produzidos pelo corpo em resposta à vacina, que tem como alvo a proteína spike do vírus SARS-CoV-2, também poderiam ter como alvo a sincitina-1 e causar infertilidade.”

Recentemente, porém, um estudo preliminar realizado por pesquisadores do CDC (Centro de Controle e Prevenção de Doenças), dos Estados Unidos comprovou que as vacinas que usam a tecnologia mRNA (Pfizer e Moderna) não apresentam riscos para grávidas. Publicado na “New England Journal of Medicine”, uma das revistas científicas mais importantes do mundo, a análise abrangeu 35.691 gestantes com idades entre 16 e 54 anos que receberam as vacinas.

A seguir, as respostas coletadas pela jornalista Tara Parker-Pope do The New York Times a várias perguntas relacionadas a vacinação.

Ouvi dizer que os efeitos colaterais da vacina Covid, especialmente após a segunda dose, podem ser muito ruins. Eu deveria estar preocupado?

Efeitos colaterais de curta duração como fadiga, dor de cabeça, dores musculares e febre são mais comuns após a segunda dose das vacinas Pfizer-BioNTech e Moderna. A sensação extrema é a de uma forte gripe incapacitante que pode durar dois dias.

Dados coletados do V-safe, um aplicativo usado para rastrear os efeitos colaterais após a vacinação, apontam que cerca de 29% das pessoas relataram fadiga após a primeira dose da Pfizer-BioNTech, mas isso aumentou para 50% após a segunda dose. A dor muscular aumentou de 17% após a primeira dose para 42% após a segunda. Embora apenas 7% das pessoas tenham tido calafrios e febre após a primeira dose, esse número aumentou para cerca de 26% após a segunda dose.

Isso foi confirmado pelos dados do ZOE COVID Symptom Study britânico, que incentiva os participantes a registrar seus sintomas diários por meio de um aplicativo de smartphone, e tem mais de quatro milhões de colaboradores em todo o mundo.

Os efeitos colaterais das vacinas mRNA são mais comuns em pessoas que já pegaram Covid-19?

Um outro estudo também comparou a frequência de reações adversas após a primeira dose da vacina Pfizer ou Moderna em 231 pessoas que haviam testado positivo anteriormente para SARS-CoV-2 ou que nunca haviam sido expostas a ele. Os sintomas como dor ou inchaço no local da injeção eram semelhantes em ambos os grupos de pacientes, mas as reações de corpo inteiro, como fadiga, dor de cabeça, calafrios, febre e dores musculares ou articulares, foram relatadas com mais frequência por aqueles que haviam se recuperado da Covid-19.

Isso também se encaixa com os dados do ZOE COVID Symptom Study, antes citado. As pessoas que tiveram uma infecção anterior por Covid-19 tinham quase o dobro de probabilidade de experimentar uma ou mais reações leves de corpo inteiro com uma dose da vacina Pfizer-BioNTech, em comparação com aquelas que não tinham testado positivo anteriormente. Os sintomas mais comuns foram fadiga (9%), dor de cabeça (8%) e calafrios (4%), principalmente durante os primeiros dois dias após a administração da vacina. No entanto, cerca de um terço daquelas que já haviam tido Covid-19 relataram pelo menos uma reação leve de corpo inteiro em sete dias, em comparação com 19% das que não tiveram.

As mulheres têm mais probabilidade de ter efeitos colaterais piores com a vacina do que os homens?

Uma análise das primeiras 13,7 milhões de doses da vacina Covid-19 administradas aos americanos descobriu que os efeitos colaterais eram mais comuns em mulheres. E embora as reações graves à vacina Covid sejam raras, quase todos os casos de anafilaxia, ou reações alérgicas com risco de vida, ocorreram em mulheres.

A maior taxa de efeitos colaterais nas mulheres tem uma explicação biológica. O estrogênio pode estimular uma resposta imunológica, enquanto a testosterona pode atenuá-la. Além disso, muitos genes relacionados ao sistema imunológico estão no cromossomo X, dos quais as mulheres têm duas cópias e os homens apenas uma. Essas diferenças podem ajudar a explicar por que muito mais mulheres do que homens sofrem de doenças autoimunes. 

Tomar um analgésico antes de se vacinar com a Pfizer-BioNTech é prudente?

Você não deve tentar evitar o desconforto tomando um analgésico antes de receber a vacina. A preocupação é que a pré-medicação com um analgésico como paracetamol (Tylenol) ou ibuprofeno (Advil, Motrin), que pode prevenir efeitos colaterais como dor no braço, bem como febre ou dor de cabeça, também pode diminuir a resposta imunológica do seu corpo.

No entanto, você não deve se preocupar, já que seu sistema imunológico ainda pode montar uma defesa forte o suficiente para combater a infecção. Uma revisão de estudos com mais de 5.000 crianças comparou os níveis de anticorpos em crianças que tomaram analgésicos antes e depois da vacinação e naquelas que não o fizeram. Eles descobriram que os analgésicos não tiveram um impacto significativo na resposta imunológica e que as crianças de ambos os grupos geraram níveis adequados de anticorpos após as vacinas.

A alta eficácia da vacina sugere que, mesmo que tomar Tylenol antes da injeção tenha atenuado a resposta imunológica do seu corpo, provavelmente você ainda está bem protegido contra Covid-19.

Que tal tomar um analgésico após a injeção?

“Não há problema em tratar” os efeitos colaterais com um analgésico, disse o Dr. Offit, mas se você realmente não precisa de um, “não tome”.

Embora a maioria dos especialistas concorde que é seguro tomar um analgésico para aliviar o desconforto após a vacinação, eles desaconselham tomá-lo após a injeção como preventivo ou se os sintomas forem controláveis ​​sem ele. A preocupação em tomar um analgésico desnecessário é que ele pode atenuar alguns dos efeitos da vacina. (Em termos de vacina, não há diferença significativa se você escolher paracetamol ou ibuprofeno.)

Os efeitos colaterais são piores se você já pegou a Covid-19?

Pesquisas e relatos anedóticos sugerem que pessoas com infecção por Covid-19 previamente diagnosticada podem ter uma reação mais forte e mais efeitos colaterais após a primeira dose da vacina em comparação com aqueles que nunca foram infectados com o vírus. Uma forte reação à sua primeira dose da vacina também pode ser um sinal de que você já foi infectado, mesmo que não saiba disso.

Se você já testou positivo para Covid-19 ou teve um teste de sangue positivo para anticorpos, esteja preparado para uma reação mais forte à sua primeira dose e considere agendar alguns dias de folga do trabalho, para o caso. Não só será mais confortável ficar em casa e se recuperar na cama, como os efeitos colaterais da vacina podem se assemelhar aos sintomas da Covid-19, e seus colegas de trabalho não vão querer ficar perto de você de qualquer maneira.

Eu já tive Covid-19. Isso significa que posso tomar apenas uma dose?

Estudos sugerem que uma dose pode ser adequada para pessoas que têm um caso previamente confirmado de Covid-19, mas até agora as diretrizes médicas não foram alteradas. Porém, pular a segunda dose pode criar problemas se o seu empregador ou uma companhia aérea pedir para ver um comprovante de vacinação no futuro.

Não tive nenhum efeito colateral. Isso significa que meu sistema imunológico não respondeu e a vacina não está funcionando?

Muitas pessoas não sentem nenhum efeito colateral além de um braço dolorido. Nos testes da vacina Pfizer, cerca de um em cada quatro pacientes não relatou efeitos colaterais.

“A falta de efeitos colaterais não significa que a vacina é inútil.”

Ninguém sabe realmente por que algumas pessoas têm tantos efeitos colaterais e outras não. Sabemos que as pessoas mais jovens desenvolvem respostas imunológicas mais fortes às vacinas do que as pessoas mais velhas. As mulheres têm respostas imunológicas mais fortes do que os homens. Mas, novamente, essas diferenças não significam que você não esteja protegido se não sentir desconforto depois de receber a vacina.

Os cientistas ainda não têm certeza da eficácia das vacinas em pessoas cujo sistema imunológico pode estar enfraquecido por certas condições médicas, como tratamentos de câncer ou infecção pelo HIV, ou porque estão tomando medicamentos supressores do sistema imunológico. Mas a maioria dos especialistas acredita que as vacinas ainda oferecem a esses pacientes alguma proteção contra o Covid-19.

Dor Crônica - O Blog das Dores Crônicas
Cadastre-se E receba nosso newsletter

Veja outros posts relacionados...

nenhum

7 comentários
  1. Após tomar a vacina senti dor de garganta uma leve febre e mal estar que durou 2 dias corro o risco de ter pego a covd

    1. Maria Madalena, desencane. Impossível, por ter tomado a vacina. As vacinas anti-Covid não causam Covid. Elas podem, sim, causar efeitos colaterais como os que você indica. No caso das vacinas americanas (Pfizer e Moderna), reportados por um terço dos vacinados e, depois de 2 ou 3 dias, em geral inofensivos. Risco você corre se, após tomar a vacina, abandona as precauções de praxe, especialmente antes de completadas duas semanas após a segunda dose. Cordialmente, Julio

  2. tomei a vacina Pfaizer ha 15 dias e sinto dor no local ate hoje isso e normal?

    1. Luciano, o braço dolorido ou dor no local da vacina é um dos efeitos colaterais mais comuns, conforme estudo feito no Reino Unido. Aproximadamente uma em cada quatro pessoas teve efeitos mais amplos como febre, dor de cabeça, náuseas e fadiga. Mas isso durou em média apenas um dia. O CDC americano (a Anvisa de lá) recomenda consultar um médico se a vermelhidão ou sensibilidade no local piorar após 24 horas, ou se seus efeitos colaterais não forem embora após alguns dias (https://www.cdc.gov/coronavirus/2019-ncov/vaccines/expect/after.html).

  3. Depois de 14 dias da vacina Pfizer, tive linfonodos, dores musculares, dor de cabeça. Fiz um exame que atestou o PCR alterado(15,5mg/l) e leucócitos ( 3.230),segundo o médico indicando uma infecção. Há 7 dias tenho sintomas.Não seria então reação da vacina?

  4. Tomei a Pfizer e estou sentindo dor nas axilas raiando para o cotovelo.

    É normal?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *