Coronavirus - by dorcronica.blog.br

A Omicron passa, a Covid Longa fica: alguém por aqui está atento a isso?

A Omicron passa a Covid Longa fica

Ora, “a Omicron não tem risco de hospitalização”, é o que hoje todo mundo já ouviu falar e quer muito pensar que assim seja. Porém, e se você for um dos poucos agraciados? Estatisticamente, convenhamos, é possível. Mais provável do que você pegar sarampo. Então, antes de você sair à rua sem motivo forte, que tal se deter um segundo a pensar o seguinte: em um número substancial de indivíduos com infecção aguda por SARS-CoV-2, os sintomas de Covid-19 geralmente persistem por semanas e meses após a fase inicial da infecção. Um estudo recente sobre os prejuízos à saúde entre 5 e 12 meses após a alta em indivíduos previamente hospitalizados com Covid-19 aguda, mostra isso. Cerca de um terço deles não se recuperaram totalmente após 1 ano.

“Está se tornando cada vez mais claro que a Covid-19 tem consequências profundas para aqueles que sobrevivem à doença.”

Dr. Janet Scott

De acordo com Organização Mundial da Saúde (OMS), Covid Longa “ocorre em indivíduos com história de infecção por SARS CoV-2 provável ou confirmada, geralmente 3 meses a partir do início de Covid-19 com sintomas e que duram pelo menos 2 meses e não podem ser explicados por um diagnóstico alternativo”.

Pacientes anteriormente hospitalizados provavelmente experimentam sintomas persistentes durante 10-14 semanas após contrair SARS CoV-2 do que indivíduos não hospitalizados.

Além disso, alguns pacientes com Covid-19 anteriormente hospitalizados ficam vulneráveis a deficiências de saúde mais graves associadas com Covid Longa do que seus pares.

Um estudo recente caracterizou traços associados a diferenças na gravidade dos agravos à saúde 1 ano após a alta em pacientes previamente hospitalizados com Covid-19 aguda.

Os sintomas contínuos mais comuns foram: fadiga, dor muscular, desaceleração física, sono ruim e falta de ar.

Os participantes sentiram que sua qualidade de vida relacionada à saúde permaneceu substancialmente pior um ano após a alta hospitalar, em comparação com o pré-Covid. Isso sugere que é improvável que as deficiências físicas e mentais relatadas no estudo sejam condições pré-existentes.

Essas descobertas podem ajudar os médicos a identificar indivíduos com Covid-19 que correm o risco de desenvolver problemas de saúde graves e persistentes e podem facilitar o desenvolvimento de tratamentos para Covid Longa.

Nota do blog:

Convém se abster de pensar que a Covid Longa afeta apenas os que um dia foram hospitalizados com a Covid-19. Pesquisas estão mostrando que mesmo aqueles que têm infecções leves ou assintomáticas por Covid-19 (o que significa que tinham poucos ou nenhum sintoma) podem experimentar esses sintomas de longa distância de Covid-19. Eles se sentem bem enquanto o vírus está ativo em seu corpo, mas começam a sentir os sintomas meses após o teste ser negativo.

Traços associados à Covid Longa

Estudos anteriores têm mostrado que os déficits cognitivos e físicos persistem pelo menos 6 meses após a alta em pessoas hospitalizadas com com a doença. Além disso, há uma variação considerável na gravidade dos sintomas e sua persistência em 6 meses após a alta hospitalar nesses indivíduos.

No entanto, existem diferenças limitadas de rastreamento de dados na recuperação de pessoas com a doença em períodos mais longos após a alta.

Um estudo recente do grupo Pós-Hospitalização COVID-19 (PHOSP-COVID) caracterizou os prejuízos à saúde física e mental aos 5 e 12 meses após a alta em indivíduos previamente hospitalizados com Covid-19 aguda.

O estudo descobriu que menos de 30% dos pacientes sentiram que haviam se recuperado totalmente 12 meses após a alta. Fatores como sexo feminino, obesidade e necessidade de ventilação mecânica durante a doença inicial com Covid-19 foram associados a prejuízos mais graves à saúde após 12 meses.

A co-autora do estudo, Dra. Rachael Evans, professora da Universidade de Leicester, no Reino Unido, diz:

“As descobertas de que muitos pacientes não se recuperaram totalmente 1 ano após deixarem o hospital indicam que os profissionais de saúde precisarão continuar avaliando seus pacientes de forma proativa por algum tempo, a fim de identificar suas necessidades contínuas de saúde e fornecer suporte”.

O estudo também investigou a associação entre a inflamação de corpo inteiro ou sistêmica e a gravidade dos problemas de saúde em 5 meses.

Um aumento na inflamação está associado a doenças mais graves durante a fase aguda de uma infecção por SARS-CoV-2.

A inflamação grave durante a fase aguda pode resultar em desregulação do sistema imunológico, levando a um estado inflamatório crônico. Este aumento crônico da inflamação pode potencialmente resultar nos sintomas persistentes que os profissionais de saúde observaram em pacientes com Covid Longa.

O estudo descobriu que os indivíduos com sintomas longos de Covid-19 mais graves, 5 meses após a alta, tinham níveis plasmáticos mais elevados de proteínas pró-inflamatórias do que aqueles com sintomas leves.

“A boa notícia é que identificamos algumas diferenças nas amostras de sangue (proteínas pró-inflamatórias) daqueles que ainda estão experimentando os efeitos físicos e cognitivos de longo prazo de sua internação hospitalar pela Covid-19”, explica o co-autor do estudo, Dr. Louise Wain.

“Essas diferenças nos dão pistas sobre os potenciais mecanismos subjacentes e sugerem que podemos usar os medicamentos existentes que visam esses mecanismos para ajudar esses subgrupos de pacientes”.

Em síntese:

  • Os indivíduos hospitalizados com Covid-19 aguda podem continuar a apresentar sintomas de Covid prolongados pelo menos 1 ano após a alta.
  • Existe uma variação considerável na persistência e gravidade dos sintomas longos de Covid entre os indivíduos.
  • Menos de 3 em 10 pacientes sentiram que haviam se recuperado totalmente 12 meses após a alta hospitalar por Covid-19 aguda.
  • O estudo descobriu que ser do sexo feminino e ter obesidade, inflamação sistêmica e sintomas mais graves durante a Covid inicial estavam associados a um risco aumentado de problemas graves de saúde relacionados à Covid prolongada.

Nota do blog:

No momento, por conta da Omicron, muito pouca ou nenhuma atenção está sendo dada a milhões de pessoas com a Covid Longa. Em muitos países, o Brasil inclusive, não se tem sequer a mínima ideia do tamanho da encrenca a ser enfrentada em 2022 quando esse contingente vier procurar sistemas de saúde ora exauridos após dois anos se defendendo da Covid-19 aguda.

LEMBRE-SE: use máscara
Cadastre-se E receba nosso newsletter

Veja outros posts relacionados…

nenhum

Uma resposta

  1. Tive Covid há 20 dias. Fiquei hospitalizada por dois dias durante a doença. Desde o contágio tenho sofrido com dores terríveis no peito e nas costas, além da fadiga. Nunca senti nada parecido. Já testei negativo, mas os sintomas persistem como se ainda estivesse doente… um pesadelo

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

CONHEÇA FIBRODOR, UM SITE EXCLUSIVO SOBRE FIBROMIALGIA
CLIQUE AQUI
Preencha e acesse!
Coloque seu nome e e-mail para acessar.
Preencha e acesse!
Você pode baixar as imagens no blog gratuitamente preenchendo os dados abaixo:
Dor Crônica - O Blog das Dores Crônicas
ATENÇÃO!
Toda semana este blog publica dois artigos de cientistas e dois posts inéditos da nossa autoria sobre a dor e seu gerenciamento.
Quer se manter atualizado nesse tema? Não duvide.

Deixe aqui seu e-mail:
Preencha e acesse!
Você pode ver os vídeos no blog gratuitamente preenchendo os dados abaixo:
Preencha e acesse!
Você pode ler o ebook no blog gratuitamente preenchendo os dados abaixo:
Dor Crônica - O Blog das Dores Crônicas
Preencha e acesse!
Você pode ler o ebook no blog gratuitamente preenchendo os dados abaixo:
Dor Crônica - O Blog das Dores Crônicas
Preencha e acesse!
Você pode ler o ebook no blog gratuitamente preenchendo os dados abaixo:
Dor Crônica - O Blog das Dores Crônicas
Preencha e acesse!
Você pode ler o ebook no blog gratuitamente preenchendo os dados abaixo:
Dor Crônica - O Blog das Dores Crônicas
Preencha e acesse!
Você pode ler o ebook no blog gratuitamente preenchendo os dados abaixo:
Dor Crônica - O Blog das Dores Crônicas
Preencha e acesse!
Você pode ler o ebook no blog gratuitamente preenchendo os dados abaixo:
Dor Crônica - O Blog das Dores Crônicas
Preencha e acesse!
Você pode ler o ebook no blog gratuitamente preenchendo os dados abaixo:
Dor Crônica - O Blog das Dores Crônicas
Preencha e acesse!
Você pode ler o ebook no blog gratuitamente preenchendo os dados abaixo:
Dor Crônica - O Blog das Dores Crônicas
Preencha e acesse!
Você pode ler o ebook no blog gratuitamente preenchendo os dados abaixo:
Dor Crônica - O Blog das Dores Crônicas
Preencha e acesse!
Você pode ler o ebook no blog gratuitamente preenchendo os dados abaixo:
Dor Crônica - O Blog das Dores Crônicas
Preencha e acesse!
Você pode ler o ebook no blog gratuitamente preenchendo os dados abaixo:
Dor Crônica - O Blog das Dores Crônicas
Preencha e acesse!
Você pode ler o ebook no blog gratuitamente preenchendo os dados abaixo:
Dor Crônica - O Blog das Dores Crônicas
Preencha e acesse!
Você pode ler o ebook no blog gratuitamente preenchendo os dados abaixo:
Dor Crônica - O Blog das Dores Crônicas
Preencha e acesse!
Você pode ler o ebook no blog gratuitamente preenchendo os dados abaixo:
Dor Crônica - O Blog das Dores Crônicas
Preencha e acesse!
Você pode ler o ebook no blog gratuitamente preenchendo os dados abaixo:
Dor Crônica - O Blog das Dores Crônicas
Preencha e acesse!
Você pode ler o mini-ebook no blog gratuitamente preenchendo os dados abaixo:
Dor Crônica - O Blog das Dores Crônicas
Preencha e acesse!
Você pode ler o ebook no blog gratuitamente preenchendo os dados abaixo:
Dor Crônica - O Blog das Dores Crônicas
Preencha e acesse!
Você pode ler o ebook no blog gratuitamente preenchendo os dados abaixo:
Dor Crônica - O Blog das Dores Crônicas