Artigos - by dorcronica.blog.br

A dor crônica e as estratégias de enfrentamento dos pacientes – Parte 2

A dor crônica e as estratégias de enfrentamento dos pacientes – Parte 2

Há dois dias, postei as opiniões de um pequeno grupo de pacientes com dor crônica, os quais foram entrevistados por pesquisadores familiarizados com essa experiência. Agora é a vez de comentar as opiniões referentes as estratégias que eles usam para enfrentar a dor persistente no seu dia-a-dia. São reproduções do que esses pacientes relataram fazer por iniciativa própria e não recomendações médicas ou coisa parecida. De fato, a impressão que a leitura da postagem deixou, em mim ao menos, é a de que algumas das estratégias seguidas são pouco criativas ou ficam aquém do que se pretende, que é ter qualidade de vida mesmo convivendo com alguma dor.

Autores: Marcia Bruce e Outros

Parte 2

OPINIÕES DOS PACIENTES SOBRE ESTRATÉGIAS DE ENFRENTAMENTO DA DOR CRÔNICA

Exercício Físico

O exercício inclui atividades como treinamento cardiovascular, ioga, natação ou hidroginástica, caminhada e treinamento de força. Os exercícios muitas vezes ajudaram a reduzir a intensidade da dor. As estratégias de exercício variavam com base na gravidade da dor e nas restrições de mobilidade de um indivíduo, por exemplo, a hidroterapia era uma forma de baixo impacto de incorporar exercício e movimento. O aspecto social do exercício em grupo também às vezes ajudava a lidar com a dor.

“Eu faço treinamento de força uma vez por semana, é um treinamento de força de alta intensidade, baixo impacto, curto, intervalo curto e acho que esse treinamento de força adiciona um pouco mais de massa muscular e isso alivia um pouco da dor.”

“Uma das maiores coisas que considero úteis é a hidroterapia, que faço três a cinco vezes por semana.”

Terapia

Tentativa e erro são importantes para encontrar um medicamento que funcione. Por exemplo, usar analgésicos para artrite em vez de analgésicos regulares é uma estratégia importante compartilhada por alguns participantes porque o componente de liberação prolongada do analgésico para artrite proporciona alívio por um longo período de tempo. As terapias alternativas incluem o uso de cannabis medicinal e outras terapias ou holísticas.

“[O médico] recomendou óleo de cannabis, então eu uso CBDs durante o dia, que é apenas uma aplicação, e depois uso outro óleo à noite e a maior coisa que ganho com isso é descansar, já é ruim o suficiente que você esteja vivendo com dor crônica, parece que fica dez vezes pior se você não dormir o suficiente e o óleo de cannabis realmente ajuda.”

“Eu estou aberto a tentar quase qualquer terapia alternativa, incluindo massagem, agulhamento seco, tratamento quiroprático, meditação, atenção plena e suporte tecnológico (por exemplo, óculos de realidade virtual).”

Profissionais Médicos

Os profissionais médicos (médicos de família, cirurgiões, neurologistas e ortopedistas) são muito importantes para as pessoas que lidam com a dor crônica. Não parece se tratar de um determinado tipo de profissional médico, mas sim de encontrar o profissional certo, dependendo de onde o paciente está em sua jornada da dor crônica e com quais elementos de dor crônica ele luta no momento.

“Você tem que encontrar a equipe certa para seguir em frente.”

“Acho que uma grande coisa é encontrar o profissional de saúde certo que realmente ouve você, quando você tem a equipe certa, eles trabalham muito para encontrar as coisas que funcionam para você.”

Ouvir o corpo

Ouvir o corpo é uma importante habilidade aprendida por pessoas que vivem com dor crônica. Conhecer seus limites e quando precisar fazer uma pausa foi essencial. Os limites de cada pessoa são únicos e podem até variar de dia para dia. Pode levar algum tempo para aprender a ouvir o seu corpo de forma eficaz para lidar com a dor crónica.

“A maneira mais fácil de lidar com aquela dor era observar meus limites, era não fazer muito no dia, ter certeza de que não estava muito estressado e descansar, muito descanso.”

“Quantos passos posso dar um dia antes, não posso andar amanhã.”

“Ouvir meu corpo, ter certeza de que estou andando um pouco melhor.”

Modificações / Adaptações

Mudar ou modificar coisas que são usadas diariamente para facilitar a vida ajudou os participantes a controlar a dor. As modificações permitiram que os indivíduos não perdessem a independência e a mobilidade.

“Meu principal método de enfrentamento é apenas trabalhar, como alguém diria, superar a dor, encontrar alternativas, no momento meu ombro direito não me permite usá-lo para colocar coisas no micro-ondas, então eu uso minha mão esquerda.”

“Aprendi a usar muito bem o controle de cruzeiro no meu carro, então não preciso usar o pé.”

“Comprei um carro que tem uma função chamada break hold e isso salvou minha vida.”

Distração

Não focar na dor costuma ser uma estratégia de enfrentamento eficaz. Convém encontrar maneiras de distrair a dor. Sair de casa para mudar de cenário pode ser uma opção.

“Eu faço um diário de gratidão que acho que ajuda você a se concentrar em outras coisas e a tentar permanecer positivo. Acho que comigo a atitude é uma grande parte disso, você sabe, se você começar de forma positiva, coisas como assistir televisão, ouvir música, escrever um diário, ser voluntário ou fazer atos de bondade para com os outros, tende a ser um pouco mais fácil, você sabe que o dia fica um pouco mais fácil.”

Dieta

Mudar a dieta pode ajudar no controle da dor crônica. Sabe-se que uma dieta anti-inflamatória ajuda. Fazer dieta para perder peso e reduzir o estresse geral no corpo e nas grandes articulações, como quadris ou joelhos, também pode ser útil, dependendo da origem da dor.

“Eu também mudei minha dieta para tomar anti-inflamatórios e outras coisas, então faço dieta com alimentos integrais.”

Recursos de saúde mental

Os recursos de saúde mental são importantes ao longo da jornada de dor crônica de uma pessoa. O apoio à saúde mental incluiu aconselhamento individual, em grupo ou entre pares, e o registro num diário.

“Cheguei a um ponto em que tenho que mudar o que estou fazendo ou então provavelmente acabo tirando minha vida.”

“Pessoas com dor ajudam outras pessoas com dor, temos que ficar juntos.”

“Por que é tão difícil? Não deveria ser tão difícil encontrar a ajuda certa.”

Veja a Parte 1 deste artigo com as opiniões dos pacientes sobre a dor crônica.

Cadastre-se E receba nosso newsletter

Veja outros posts relacionados…

nenhum

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

CONHEÇA FIBRODOR, UM SITE EXCLUSIVO SOBRE FIBROMIALGIA
CLIQUE AQUI
Preencha e acesse!
Coloque seu nome e e-mail para acessar.
Dor Crônica - O Blog das Dores Crônicas
Preencha e acesse!
Você pode baixar as imagens no blog gratuitamente preenchendo os dados abaixo:
Dor Crônica - O Blog das Dores Crônicas
ATENÇÃO!
Toda semana este blog publica dois artigos de cientistas e dois posts inéditos da nossa autoria sobre a dor e seu gerenciamento.
Quer se manter atualizado nesse tema? Não duvide.

Deixe aqui seu e-mail:
Preencha e acesse!
Você pode ver os vídeos no blog gratuitamente preenchendo os dados abaixo:
Preencha e acesse!
Você pode ler o ebook no blog gratuitamente preenchendo os dados abaixo:
Dor Crônica - O Blog das Dores Crônicas
Preencha e acesse!
Você pode ler o ebook no blog gratuitamente preenchendo os dados abaixo:
Dor Crônica - O Blog das Dores Crônicas
Preencha e acesse!
Você pode ler o ebook no blog gratuitamente preenchendo os dados abaixo:
Dor Crônica - O Blog das Dores Crônicas
Preencha e acesse!
Você pode ler o ebook no blog gratuitamente preenchendo os dados abaixo:
Dor Crônica - O Blog das Dores Crônicas
Preencha e acesse!
Você pode ler o ebook no blog gratuitamente preenchendo os dados abaixo:
Dor Crônica - O Blog das Dores Crônicas
Preencha e acesse!
Você pode ler o ebook no blog gratuitamente preenchendo os dados abaixo:
Dor Crônica - O Blog das Dores Crônicas
Preencha e acesse!
Você pode ler o ebook no blog gratuitamente preenchendo os dados abaixo:
Dor Crônica - O Blog das Dores Crônicas
Preencha e acesse!
Você pode ler o ebook no blog gratuitamente preenchendo os dados abaixo:
Dor Crônica - O Blog das Dores Crônicas
Preencha e acesse!
Você pode ler o ebook no blog gratuitamente preenchendo os dados abaixo:
Dor Crônica - O Blog das Dores Crônicas
Preencha e acesse!
Você pode ler o ebook no blog gratuitamente preenchendo os dados abaixo:
Dor Crônica - O Blog das Dores Crônicas
Preencha e acesse!
Você pode ler o ebook no blog gratuitamente preenchendo os dados abaixo:
Dor Crônica - O Blog das Dores Crônicas
Preencha e acesse!
Você pode ler o ebook no blog gratuitamente preenchendo os dados abaixo:
Dor Crônica - O Blog das Dores Crônicas
Preencha e acesse!
Você pode ler o ebook no blog gratuitamente preenchendo os dados abaixo:
Dor Crônica - O Blog das Dores Crônicas
Preencha e acesse!
Você pode ler o ebook no blog gratuitamente preenchendo os dados abaixo:
Dor Crônica - O Blog das Dores Crônicas
Preencha e acesse!
Você pode ler o ebook no blog gratuitamente preenchendo os dados abaixo:
Dor Crônica - O Blog das Dores Crônicas
Preencha e acesse!
Você pode ler o mini-ebook no blog gratuitamente preenchendo os dados abaixo:
Dor Crônica - O Blog das Dores Crônicas
Preencha e acesse!
Você pode ler o ebook no blog gratuitamente preenchendo os dados abaixo:
Dor Crônica - O Blog das Dores Crônicas
Preencha e acesse!
Você pode ler o ebook no blog gratuitamente preenchendo os dados abaixo:
Dor Crônica - O Blog das Dores Crônicas
Preencha e acesse!
Você pode ler o ebook no blog gratuitamente preenchendo os dados abaixo:
Dor Crônica - O Blog das Dores Crônicas
Preencha e acesse!
Você pode ler o ebook no blog gratuitamente preenchendo os dados abaixo:
Dor Crônica - O Blog das Dores Crônicas
Preencha e acesse!
Você pode ler o ebook no blog gratuitamente preenchendo os dados abaixo:
Dor Crônica - O Blog das Dores Crônicas
Preencha e acesse!
Você pode ler o ebook no blog gratuitamente preenchendo os dados abaixo:
Dor Crônica - O Blog das Dores Crônicas
Preencha e acesse!
Você pode ler o ebook no blog gratuitamente preenchendo os dados abaixo:
Dor Crônica - O Blog das Dores Crônicas