Dor Crônica - by dorcronica.blog.br

12 dicas para lidar com a fibromialgia

12 dicas para lidar com a fibromialgia

Se você tem fibromialgia, existem várias maneiras de mudar seu estilo de vida para ajudar a aliviar os sintomas e facilitar a convivência com sua condição. A série a seguir aponta as mais importantes.

Desestresse-se

Desestresse-se

A fibromialgia é uma doença crônica. Existem dezenas de propostas para controlar o estresse: ioga, respiração diafragmática, exercícios, neurofeedback, hidroterapia, musicoterapia, sono e meditação, as mais comuns.  Nenhuma delas, sozinha ou com outras, “funciona” se 1) a pessoa não se “toca” para o tremendo estrago, amiúde irreparável, que o estresse causa à própria vida e à vida dos que ela ama, e 2) se ela não neutralizar seus principais estressores. Sem esse “insight” inicial decisivo, de pouco adianta fazer aula de ioga ou coisa parecida.

Anote

Anote

Se a “Fibro Fog” (névoa mental) estiver prejudicando seu foco ou memória, mantenha uma caneta e papel à mão. Faça listas de tarefas e até mesmo “diga” para ajudá-lo a lembrar dos tópicos sobre os quais deseja conversar com seu cônjuge ou família. Mantenha listas de compras, nomes de amigos e números de telefone e endereços importantes em um notebook para levar consigo.

Exercite-se regularmente

Exercite-se regularmente

Exercícios regulares e de baixa intensidade, como caminhadas ou exercícios em águas quentes, são um dos melhores tratamentos para a fibromialgia. Ajuda a diminuir a dor e a rigidez, reduz o estresse e pode aumentar seu senso de controle sobre a fibromialgia. Você também pode dormir melhor e até rir de piadas ruins. Converse com seu médico ou fisioterapeuta sobre um bom programa de exercícios para você.

Faça alguma imersão séria

Faça alguma imersão séria

Mergulhar em um banho quente ou banheira de hidromassagem pode relaxar os músculos tensos, reduzir a dor e ajudá-lo a se mover mais facilmente. Se for difícil entrar e sair da banheira, tente uma sauna ou coloque um banquinho no chuveiro para poder sentar e deixar a água fazer o seu trabalho. O calor úmido pode aumentar as endorfinas, que bloqueiam os sinais de dor e ajudam a dormir mais profundamente.

Descafeine-se

Descafeine-se

Estudos recentes afirmam que a cafeína faz bem para a saúde, porém agregando que somente numa dose diária de até 300 mg (2 a 4 xícaras, dependendo do tamanho). Acima de 400 mg diários, a cafeína pode agravar o estresse, tanto física quanto psicologicamente. Ao estimular o coração e o sistema nervoso central também pode aumentar o nervosismo, a ansiedade e a insônia. Portanto, descafeine-se para se desestressar. E se quiser garantir um bom sono à noite, evite cafeína a partir do final da tarde. E tome cuidado com a cafeína no chocolate e alguns refrigerantes e chás, onde ela é invisível.

Reserve um “tempo para mim” todos os dias

Reserve um “tempo para mim” todos os dias

A fibromialgia pode representar desafios únicos à saúde e complicar a vida. Portanto, reserve um tempo para si mesmo todos os dias como parte de seu tratamento. Perca-se em um hobby, coloque música, descanse – o que fizer você se sentir bem. E sobretudo fique longe de documentos com números, do noticiário deprimente e de pessoas tóxicas ou muito barulhentas. Isso pode trazer mais equilíbrio à sua vida, ajudá-lo a combater o estresse e aumentar sua energia para as coisas que você precisa – e gosta de fazer.

Tornar a vida profissional melhor

Tornar a vida profissional melhor

O trabalho está deixando você exausto e com dores? Veja com a sua equipe e seu chefe se um plano flexível que funcione para você faz sentido. Uma renegociação de horário de trabalho pode aliviar o estresse ganho no trânsito e melhorar as proteínas perdidas comendo mal fora de casa. E mesmo se nada disso dar certo, (antes de mudar de emprego) reorganize sua área de trabalho para conforto e fácil acessibilidade. Pequenos aditivos, como um teclado com mouse embutido, uma cadeira decente, um fone de ouvido para o telefone etc. podem ajudar a colocar menos estresse em seu corpo.

Fale sobre isso

Fale sobre isso

A fibromialgia coloca pressão sobre você e as pessoas ao seu redor.  Não espere nem procure maior compreensão ou paciência de parte delas, especialmente se a sua dor tiver se estendido por muito tempo. Humanos são assim. Ponha-se no lugar delas e, em vez de se amargurar, preocupe-se com você mesmo. Não tente sempre colocar uma cara feliz. Seus entes queridos precisam saber o que piora os sintomas, e você vai ficar insatisfeito consigo mesmo se fingir o que sente. Reprimir emoções é parte de uma boa educação, mas tudo tem limite. O seu é o da sua saúde mental e física. Falando o que pensa, sendo você mesmo, você tem a oportunidade de explorar e ampliar a gama de sentimentos com os quais se sente confortável… e isso faz bem. Sentir dor generalizada o tempo todo e ainda por cima reprimir as emoções que isso traz à tona é, no mínimo, pouco saudável, além de prejudicar o seu alívio e recuperação.

Apenas diga não

Apenas diga não

Todos temos obrigações sociais, algumas impossíveis de contornar. Para quem padece de fibromialgia, o custo de cumprir com essas obrigações é muitas vezes maior do que para pessoas saudáveis. Porém, como a fibromialgia é uma “doença invisível” – você pode parecer bem, mas se sentir mal – é fácil para os outros desrespeitarem a sua necessidade de ficar quieto. E exigir de você comparecimentos e compromissos para os quais você não está a fim. A tendência da pessoa bem educada é atender a esses pedidos por… educação, sacrificando a vontade própria. Até onde possível, não o faça. Ao avaliar atividades, favores ou convites, considere se eles o impedirão de descansar, exercitar ou relaxar. Ora, você precisa se sentir bem. Faça o mundo girar no seu ritmo, e não aceite o contrário. Não há problema em simplesmente dizer “não”. E em ficar nisso.

Cuide do sono

Cuide do sono

Para pessoas com fibromialgia, a combinação de dor e distúrbios do sono é uma faca de dois gumes: a dor torna o sono mais difícil e a privação do sono agrava a dor. A boa notícia é que a redução dos distúrbios do sono geralmente é seguida pela melhora dos sintomas da dor. Isso destaca a importância de preservar um padrão de sono saudável. Dicas para isso você encontra em qualquer revista feminina ou de saúde, e vão desde manter o quarto de dormir silencioso e fresco, até procurar ajuda de um profissional do sono, passando por respeitar horas e horários de sono regulares e banir o computador e a TV tarde da noite, além de relaxar com música zen ou um banho quente. A dica mais importante, porém, é sempre esquecida e raramente atendida: cumprir religiosamente com tudo isso.

Mantenha um diário

Mantenha um diário

No Brasil Brasil, as pessoas em geral não gostam muito de falar sobre dor, menos ainda de escrever sobre isso. Contudo, como a fibromialgia é uma dor recorrente e algo traiçoeira – você pensa que foi embora para sempre e de repente volta sem aviso – faz todo sentido conhecê-la a fundo. Manter o controle de eventos, atividades, e de horários de medicação, vis-vis os sintomas que ela apresenta em termos de dor, rigidez, alterações de humor etc. ajuda a identificar padrões. Isso pode alertar quando os sintomas começam e, com o tempo, o que pode estar causando esses sintomas. Em seguida, você pode trabalhar para eliminar gatilhos ou aprender estratégias de enfrentamento para diminuir seu impacto.

Descubra a informação certa

Descubra a informação certa

De tão popular, a fibromialgia já virou conversa de bar. Atualmente há no Google mais de 4 mil artigos razoavelmente científicos sobre ela, e várias vezes mais esse número de escritos amadores. A verdade é que, como se trata de uma síndrome de dor generalizada, difusa, ainda sem causa conhecida e com muitos sintomas, dos quais alguns se confundem com os de várias outras doenças, todo mundo se sente em condições de opinar. E como por outro lado quem tem fibromialgia sofre muito, é fácil acreditar em qualquer remédio, terapia ou mágica sugerindo cura ou (ao menos) alívio. Se noutros países como EUA Estados Unidos, Reino Unido Reino Unido e Austrália Austrália, grupos de apoio a fibromiálgicos, por exemplo, influenciam positivamente essas pessoas, no Brasil Brasil eles podem induzir a engano, mesmo não havendo intenção para isso.

Conheça as ferramentas disponíveis no site FIBRODOR:

Cadastre-se E receba nosso newsletter

Veja outros posts relacionados…

nenhum

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

CONHEÇA FIBRODOR, UM SITE EXCLUSIVO SOBRE FIBROMIALGIA
CLIQUE AQUI
Preencha e acesse!
Coloque seu nome e e-mail para acessar.
Dor Crônica - O Blog das Dores Crônicas
Preencha e acesse!
Você pode baixar as imagens no blog gratuitamente preenchendo os dados abaixo:
Dor Crônica - O Blog das Dores Crônicas
ATENÇÃO!
Toda semana este blog publica dois artigos de cientistas e dois posts inéditos da nossa autoria sobre a dor e seu gerenciamento.
Quer se manter atualizado nesse tema? Não duvide.

Deixe aqui seu e-mail:
Preencha e acesse!
Você pode ver os vídeos no blog gratuitamente preenchendo os dados abaixo:
Preencha e acesse!
Você pode ler o ebook no blog gratuitamente preenchendo os dados abaixo:
Dor Crônica - O Blog das Dores Crônicas
Preencha e acesse!
Você pode ler o ebook no blog gratuitamente preenchendo os dados abaixo:
Dor Crônica - O Blog das Dores Crônicas
Preencha e acesse!
Você pode ler o ebook no blog gratuitamente preenchendo os dados abaixo:
Dor Crônica - O Blog das Dores Crônicas
Preencha e acesse!
Você pode ler o ebook no blog gratuitamente preenchendo os dados abaixo:
Dor Crônica - O Blog das Dores Crônicas
Preencha e acesse!
Você pode ler o ebook no blog gratuitamente preenchendo os dados abaixo:
Dor Crônica - O Blog das Dores Crônicas
Preencha e acesse!
Você pode ler o ebook no blog gratuitamente preenchendo os dados abaixo:
Dor Crônica - O Blog das Dores Crônicas
Preencha e acesse!
Você pode ler o ebook no blog gratuitamente preenchendo os dados abaixo:
Dor Crônica - O Blog das Dores Crônicas
Preencha e acesse!
Você pode ler o ebook no blog gratuitamente preenchendo os dados abaixo:
Dor Crônica - O Blog das Dores Crônicas
Preencha e acesse!
Você pode ler o ebook no blog gratuitamente preenchendo os dados abaixo:
Dor Crônica - O Blog das Dores Crônicas
Preencha e acesse!
Você pode ler o ebook no blog gratuitamente preenchendo os dados abaixo:
Dor Crônica - O Blog das Dores Crônicas
Preencha e acesse!
Você pode ler o ebook no blog gratuitamente preenchendo os dados abaixo:
Dor Crônica - O Blog das Dores Crônicas
Preencha e acesse!
Você pode ler o ebook no blog gratuitamente preenchendo os dados abaixo:
Dor Crônica - O Blog das Dores Crônicas
Preencha e acesse!
Você pode ler o ebook no blog gratuitamente preenchendo os dados abaixo:
Dor Crônica - O Blog das Dores Crônicas
Preencha e acesse!
Você pode ler o ebook no blog gratuitamente preenchendo os dados abaixo:
Dor Crônica - O Blog das Dores Crônicas
Preencha e acesse!
Você pode ler o ebook no blog gratuitamente preenchendo os dados abaixo:
Dor Crônica - O Blog das Dores Crônicas
Preencha e acesse!
Você pode ler o mini-ebook no blog gratuitamente preenchendo os dados abaixo:
Dor Crônica - O Blog das Dores Crônicas
Preencha e acesse!
Você pode ler o ebook no blog gratuitamente preenchendo os dados abaixo:
Dor Crônica - O Blog das Dores Crônicas
Preencha e acesse!
Você pode ler o ebook no blog gratuitamente preenchendo os dados abaixo:
Dor Crônica - O Blog das Dores Crônicas
Preencha e acesse!
Você pode ler o ebook no blog gratuitamente preenchendo os dados abaixo:
Dor Crônica - O Blog das Dores Crônicas
Preencha e acesse!
Você pode ler o ebook no blog gratuitamente preenchendo os dados abaixo:
Dor Crônica - O Blog das Dores Crônicas
Preencha e acesse!
Você pode ler o ebook no blog gratuitamente preenchendo os dados abaixo:
Dor Crônica - O Blog das Dores Crônicas
Preencha e acesse!
Você pode ler o ebook no blog gratuitamente preenchendo os dados abaixo:
Dor Crônica - O Blog das Dores Crônicas
Preencha e acesse!
Você pode ler o ebook no blog gratuitamente preenchendo os dados abaixo:
Dor Crônica - O Blog das Dores Crônicas
Preencha e acesse!
Você pode ler o ebook no blog gratuitamente preenchendo os dados abaixo:
Dor Crônica - O Blog das Dores Crônicas